Triste, Roth diz que encontrou um Inter “adormecido” pelas conquistas recentes

Roth
Foto: Reprodução/ESPN

Em sua quarta passagem pelo Inter, Celso Roth não repetiu os bons momentos vividos nas anteriores e participou diretamente da campanha que culminou no primeiro rebaixamento da história do clube. Demitido faltando três jogos para o término do campeonato, ele assistiu de longe a confirmação da queda neste domingo, no empate em 1×1 contra o Fluminense, no Rio de Janeiro. 

Campeão gaúcho em 1997 e da Libertadores de 2010 pelo clube, o treinador participou do programa Resenha ESPN, da ESPN Brasil, neste domingo, e reforçou sua ligação com o Inter. Lamentou profundamente a situação e se disse “triste” pela confirmação da queda. Ele também lembrou que foi “convocado” por Fernando Carvalho, dirigente que voltou ao clube em agosto, mas que não foi possível “reverter a situação”.

LEIA MAIS:

Confirmado: D’Alessandro se despede do River e volta ao Inter em 2017

Rebaixamento do Inter gera muitas piadas na internet; confira

“Justíssimo”, diz Danilo Fernandes sobre o rebaixamento do Inter

“Primeiro queria dizer que estamos muito tristes. Tristes porque temos uma história grande no Internacional. Iniciei praticamente minha carreira no clube em 1997 e estamos muito tristes mesmo. Vir aqui no programa hoje não é “botar a cara para bater”, não. A gente tem que conversar sobre o que aconteceu (…) Fomos chamados para reverter uma situação, junto com o Fernando Carvalho, um dos maiores dirigentes, mas não conseguimos, essa é a verdade”, disse o treinador.

Para Roth, o acúmulo de vitórias expressivas e títulos importantes dos últimos anos tiveram peso na derrocada do Inter. O técnico, que comandou o clube em 22 jogos de agosto a novembro, salientou que encontrou um clube “adormecido” por ter “ganho demais”. Ele também citou São Paulo e Cruzeiro como times que apresentaram os mesmos sintomas.

“Nesse tempo que passei agora, o Internacional me pareceu em alguns momentos adormecido. Ganhou demais, ganhou demais. O São Paulo se segurou, mas deu sinais claros que poderia ir. O Cruzeiro a mesma coisa e quando estive lá em 2012, também. Então, no Inter, quando eu cheguei, me pareceu isso. Ninguém acreditava que poderia acontecer. E a gente alertando e falando para não deixar para o final”, comentou.

Após um empate em 1×1 contra a Ponte Preta no Beira-Rio, Celso Roth foi demitido com 36% de aproveitamento, deixando o Inter dentro do Z4. Como última cartada, o Inter ainda tentou a salvação com Lisca, que não foi capaz de impedir o primeiro rebaixamento colorado, corroborado neste domingo, por volta das 19h em Edson Passos, na Baixada Fluminense.

 

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.