Paulo Nobre diz que sente nojo de agente de Alan Kardec: “Uma pessoa safada”

Paulo Nobre
Reproducao: rádio Jovem Pan
O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, foi o convidado do programa “Esporte em Discussão”, da Rádio Jovem Pan desta terça-feira (13) e o mandatário alviverde foi abordado sobre diversos assuntos. Dentre eles, a respeito de algumas negociações que acabaram se tornando polêmicas durante o seu primeiro mandato. Uma delas envolveu o atacante Alan Kardec, que na época defendia as cores do Verdão e que após receber uma oferta do rival São Paulo, decidiu “pular o muro” que divide as duas equipes no bairro da Barra Funda.

Na ocasião, o dirigente se sentiu traído pelo empresário do atleta pela forma como foi conduzida a situação. Paulo Nobre acredita ter recuperado Kardec do ostracismo quando estava encostado no Benfica, de Portugal. Devido a isto, esperava um tratamento diferente que culminasse com sua permanência no time. Segundo ele, sente nojo pelo agente do jogador que, de acordo com Nobre, fez a cabeça do centroavante de olho na comissão.

LEIA MAIS:

NOBRE RESPONDE TORCEDOR “RIVAL” SE ACEITARIA DIRIGIR OUTRO CLUBE DE SÃO PAULO; VEJA

NOBRE REBATE CRÍTICOS POR TER LEVANTADO A TAÇA COM DUDU: “VÃO RECLAMAR COM O PAPA”

PRATTO SONHA COM EUROPA, MAS REVELA CONDIÇÃO PARA “CONVERSAR” COM TIMES DO BRASIL

Não tenho raiva do Alan, torço por ele. É um jogador de muita qualidade. Mas... Por que ele veio para o PalmeirasPorque, apesar de toda a sua qualidade, estava encostado, juntando pó, no time B do Benfica. Não é que estava jogando num time de ponta do futebol europeu… Ele estava na Série B de Portugal. Foi por causa disso que o Palmeiras, praticamente falido, conseguiu trazê-lo de graça“, relembrou Paulo Nobre.

“Na hora da renovação do contrato, o empresário dele que é uma das pessoas que eu peguei mais nojo no meio do futebol. É uma pessoa sem vergonha, safada, que fez a cabeça do jogador e do seu pai. A gente fazia de tudo para renovar com o jogador, e ele estava lá, de olho na comissão que iria ganhar com a transferência”, disse ele sem citar nomes.

DESAFETO

Outra coisa que deixou Nobre bastante incomodado foi a postura do presidente são-paulino na época, Carlos Miguel Aidar. Ambos trocaram muitas farpas pela mídia e a relação entre os clubes ficou estremecida. Em entrevista recente ao UOL Esporte, quando questionado sobre o que pensa sobre Aidar, Nobre classificou ele como “um coitado”.

Vale lembrar que hoje, na figura de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, Tricolor e Verdão se reaproximaram e deixaram as rusgas no passado.

MAIS VERDÃO

PRESIDENTE DO GALO NÃO GARANTE LUCAS PRATTO, ALVO DO PALMEIRAS, EM 2017

CUCA INDICOU FLAMENGUISTA? VEJA AS NOTÍCIAS DO PALMEIRAS QUE BOMBARAM NESTA TERÇA

Siga o autor no Twitter: Eder Bahúte – @ederbahute