OPINIÃO: Dom Paulo, o mais sofredor de todos os corintianos

Getty Images

Os corintianos adoram se vangloriar como “corintiano, maloqueiro e sofredor. Graças a Deus!”. Deve ser por isso que Dom Paulo Evaristo Arns, falecido nesse 14 de dezembro, era corintiano. O homem, de origem franciscana, viu o sofrimento e a tristeza de perto. Tristeza maior que a de um gol perdido por um centroavante alvinegro. Viu um sofrimento maior que os 23 anos de jejum de títulos. Ele via o sofrimento dos porões da ditadura.

Dom Paulo, ficou feliz quando viu seu time do coração fazer a democracia com um Doutor, um roqueiro, um nordestino e um negro. De alguma maneira, era o povo com P maiúsculo, que estava ali representado com o manto do Corinthians. Por isso, o arcebispo, apoiou o movimento que nascia no Parque São Jorge.

LEIA MAISSEGUNDO JORNALISTA, OSWALDO DE OLIVEIRA PODE SER DEMITIDO NESTA QUARTA-FEIRA

Ele não pregava a religião com fanatismo. Fanatismo e religião, só se misturavam quando o seu Corinthians entrava em campo. De resto, ele recebia todas as crenças de braços abertos. A Igreja da Sé que o diga.

Dom Paulo, ensinou a todos os corintianos faz bem ao coração.

“Corinthians, para nós, é o símbolo da esperança.(…) O Corinthians é mesmo o símbolo do povo que não chega lá. Do povo que sofre todas as decepções, desde as mais legítimas, como também as de seus sonhos. Mas é um povo que aguenta. Que é humilde. Povo que se abate, mas que, ao mesmo tempo, sabe que precisa recomeçar. E recomeça mesmo! Está presente em todas as próximas lutas. Recomeça.“

– Dom Paulo Evaristo Arns
(1921-2016)