Geromel explica como dupla com Kannemann deu tão certo no Grêmio

geromel
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O Grêmio custou a encontrar o parceiro ideal para Pedro Geromel, mas quando conseguiu não se contentou até ganhar um título. Com Kannemann afirmado no setor defensivo, a dupla demonstrou muita segurança durante toda a Copa do Brasil, vencida na última quarta-feira, na conquista que quebrou o jejum de 15 anos sem títulos do clube e ainda deu vaga direta na fase de grupos da Libertadores de 2017.

Só em 2016, três outros jogadores tiveram a oportunidade de atuar ao lado de Geromel, mas nenhum deles teve o rendimento esperado para se manter na zaga. O primeiro deles foi Kadu, contratado junto ao Atlético-PR em 2015, mas que não correspondeu. Fred e Wallace Reis, os dois seguintes, alternaram bons e maus momentos – e ainda sofreram com algumas lesões ao longo da temporada.

LEIA MAIS:

Rebaixamento do Inter gera muitas piadas na internet; confira

“Justíssimo”, diz Danilo Fernandes sobre o rebaixamento do Inter

Com a chegada do argentino Walter Kannemann, os problemas foram sanados. Com ele ao lado de Geromel, o Grêmio estabeleceu seu sistema defensivo e levou apenas cinco gols em 8 jogos na campanha do título da Copa do Brasil. Para Geromel, a forte concorrência foi um dos segredos para a dupla com Kannemann dar tão certo no Grêmio.

“O entrosamento foi muito bom, a gente trouxe esse título para o Grêmio. Ele chegou e ajudou a gente bastante. A gente tem muitos jogadores de qualidade na defesa, como o Wallace, o Fred e o Thyere. O Kannemann, quando chegou, ficou um ou outro jogo no banco, aí viu que teria que jogar muita bola para ganhar a vaga no time. E isso foi muito importante para ele entrar e aumentar o nível do time”, disse, em entrevista à ESPN Brasil, logo após ganhar a Bola de Prata do Brasileirão nesta segunda.

Mais do que confirmado para a próxima temporada no Grêmio, Geromel não quer ver a equipe repetindo os mesmos erros deste ano, quando o primeiro semestre não foi nada bom. Foram três eliminações seguidas contando Primeira Liga, Gauchão e Libertadores. O zagueiro projeta um 2017 diferente para os tricolores.

“Nós tivemos um início de ano bastante complicado e não vamos deixar isso acontecer no ano que vem. Tiramos um peso enorme das nossas costas com esse título e agora a gente vai descansar, aproveitar, comemorar, para ano que vem entrar forte novamente”, projetou.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.