Dos grandes, Flamengo foi o que menos usou as categorias de base no Brasileirão

Gilvan de Souza/Flamengo

Esperava-se que o título da Copinha no início do ano impulsionasse o uso de jovens das categorias de base do Flamengo no elenco profissional. O rubro-negro encerrou o Brasileirão sendo o grande clube brasileiro que menos apostou em atletas revelados pelo próprio clube, de acordo com levantamento feito pelo Torcedores.com.

Os técnicos Muricy Ramalho (comandou o time somente nas três primeiras rodadas) e Zé Ricardo (curiosamente o comandante na Copinha) usaram apenas seis jogadores da base em 38 rodadas: Jorge (lateral-esquerdo), Léo Duarte (zagueiro), Rafael Dumas (zagueiro), Adryan (meia), Felipe Vizeu (atacante) e Thiago Santos (atacante). A lista aumenta para 8 se forem contabilizados o zagueiro veterano Juan e o goleiro Paulo Victor (29 anos).

VEJA MAIS:
Flamengo tem premiados em noite de Seleção do Campeonato Brasileiro
Willian Arão aponta um dos erros que fizeram o Flamengo não ser campeão brasileiro 

Artilheiro flamenguista na Copinha, com sete gols, Vizeu, 19 anos, correspondeu em seu primeiro Brasileirão como profissional: cinco gols em 15 jogos, número inferior apenas a Paolo Guerrero (9) e Diego (6). Titular na maioria da competição, Jorge obteve destaque e foi eleito o melhor lateral-esquerdo em eleição da CBF.

Para se ter uma ideia, Grêmio e Internacional foram os clubes que mais recorreram às pratas da casa. Ambos usaram 17 jogadores, quase três vezes a mais do que rubro-negro carioca.

Veja o ranking de aproveitamento das categorias de base pelos grandes no Brasileirão:

Grêmio (17) – Leo (goleiro), Marcelo Hermes (lateral-esquerdo), Rafael Thyere (zagueiro), Iago (lateral-esquerdo), Ramiro (volante), Kaio (volante), Walace (volante), Jailson (volante), Lincoln (meia), Guilherme Amorim (volante), Pedro Rocha (atacante), Batista (atacante), Everton (atacante), Luan (atacante), Guilherme Augusto (atacante), Tilica (atacante), Ty Sandows (atacante). A lista aumenta para 18 se acrescentarmos o goleiro Marcelo Grohe, que subiu aos profissionais em 2005.

Internacional (17) – Alisson (goleiro), Jacsson (goleiro), Muriel (goleiro), Eduardo (lateral-direito), William (lateral-direito), Raphinha (lateral-esquerdo), Artur (lateral-esquerdo), Geferson (lateral-esquerdo), Jair (volante), Rodrigo Dourado (volante), Gustavo Ferrareis (meia), Andrigo (meia), Bruno Baio (atacante), Aylon (atacante), Sasha (atacante), Alisson Farias (atacante) e Mike (atacante)

Santos (15) – Vladimir (goleiro), Gustavo Henrique (zagueiro), Lucas Veríssimo (zagueiro), Daniel Guedes (lateral-direito), Zeca (lateral-esquerdo), Caju (lateral-esquerdo), Fernando Medeiros (volante), Thiago Maia (volante), Alison (volante), Léo Cittadini (meia), Serginho (meia), Vitor Bueno (meia contratado da base do Botafogo-SP e que integrou o Santos B antes de subir ao profissional), Matheus Nolasco (atacante contratado da base do Atlético-MG e que integrou o time sub-23 antes de subir ao profissional), Lucas Crispim (atacante), Diogo Vitor (atacante), Arthur Gomes (atacante) e Gabriel (atacante).

São Paulo (13) – Leo (goleiro), Auro (lateral-direito), Matheus Reis (lateral-esquerdo), Lucão (zagueiro), Lyanco (zagueiro), Artur (volante), Banguelê (volante), João Schmidt (volante), Wellington (volante), Lucas Fernandes (meia), Luiz Araújo (atacante), Pedro (atacante), David Neres (atacante).

Fluminense (13) –Marcos Felipe (goleiro), Ygor Nogueira (zagueiro), Ayrton (lateral-esquerdo), Igor Julião (lateral-direito), Giovanni (lateral-esquerdo), Douglas (volante), Gustavo Scarpa (meia), Augusto (meia), Gerson (meia), Marcos Júnior (atacante), Wellington (atacante), Pedro (atacante), Samuel (atacante)

Botafogo (11) – Diego (lateral-direito), Fernandes (volante), Gegê (meia), Dierson (meia), Leandrinho (meia), Octávio (meia), Pachu (meia), Luis Henrique (atacante), Ribamar (atacante), Sassá (atacante), Vinícius Tanque (atacante).

Atlético-MG (11) – Uílson (goleiro), Gabriel (zagueiro), Jesiel (zagueiro), Leonan (lateral-esquerdo), Eduardo (volante), Lucas Cândido (volante), Yago (volante), Thalis (meia), João Capixaba (atacante), João Figueiredo (atacante) e Carlos (atacante)

Cruzeiro (9) – Lucas França (goleiro), Bruno Viana (zagueiro), Fabrício Bruno (zagueiro), Mayke (lateral-direito), Alex Sandro (meia), Alisson (meia), Bruno Ramires (meia), Elber (meia-atacante), Alex (meia). A lista aumenta para 10 se Edmar (lateral-esquerdo) for incluído. Ele foi revelado no próprio clube em 2005 e após passagens por vários clubes retornou à Toca da Raposa em 2016.

Corinthians (9) – Caíque França (goleiro), Léo Príncipe (lateral-direito), Léo Santos (zagueiro), Guilherme Arana (lateral-esquerda), Pedro Henrique (zagueiro), Yago (zagueiro), Maycon (volante), Marciel (volante), Léo Jabá (atacante). A lista aumenta para 10 se Fagner, revelado pelo clube em 2006, for incluído. Após passagens por diversos clubes, ele retornou ao Parque São Jorge em 2014.

Palmeiras (7) – Vinícius Silvestre (goleiro), João Pedro (lateral), Thiago Martins (zagueiro), Matheus Sales (volante), Vitinho (meia), Gabriel Jesus (atacante) e Artur (atacante).

Flamengo (6) – Jorge (lateral-esquerdo), Léo Duarte (zagueiro), Rafael Dumas (zagueiro), Adryan (meia), Felipe Vizeu (atacante) e Thiago Santos (atacante). A lista aumenta para 8 se forem contabilizados o zagueiro veterano Juan e o goleiro Paulo Victor (29 anos).



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)