Dirigente do Cruzeiro faz retrospectiva da temporada e fala de reforços para 2017

Divulgação /Juliana Flister / Light Press /Site oficial do Cruzeiro

Após a confirmação da renovação contratual do zagueiro Dedé e a despedida do diretor de futebol Thiago Scuro, o vice-presidente do Cruzeiro, Bruno Vicintin, fez um balanço de toda a  temporada da Raposa, além de reiterar o desejo do clube em fazer contratações pontuais para 2017 para não cometer os erros de 2016.

“Foi uma decisão nossa de apostar no Deivid. Acreditávamos na continuidade de um trabalho que tinha terminado de forma positiva. Começamos o Mineiro e a Primeira Liga. Conquistamos vitórias e pontos, mas o time não vinha bem, na nossa avaliação. Fomos eliminados do Mineiro e decidimos trocar de treinador. Partimos, então, para buscar um treinador de fora do país. Tentamos inovar contratando Paulo Bento, nível de seleção, e por acreditar que ele se adaptaria rapidamente ao clube”, relembrou o vice presidente de futebol do Cruzeiro em coletiva de imprensa.

LEIA MAIS:

Cruzeiro anuncia a renovação contratual de Dedé por mais dois anos

Cruzeiro negocia contratação de diretor de futebol no Rio de Janeiro

“Ao contrário do que estava acontecendo no Mineiro, passamos a jogar bem, mas os resultados não vinham. Tivemos partidas em que chegamos a 30 finalizações – contra 4 do adversário – e perdemos por 3 a 0. Decidimos então que teríamos de tomar medidas drásticas para mudar o rumo da temporada. Decidimos trocar o Paulo Bento e vou fazer uma confissão: poderia ter sido mais correto com ele. Tínhamos um projeto, mas os resultados não estavam vindo. Então tivemos que tomar essa decisão muito difícil de trocar o Paulo, mas, não tenho dúvidas de que foi a decisão correta”, contou Bruno Vicintin, afirmando que mesmo não sendo o que estava planejado, o momento exigia algo novo para mexer com o elenco.

Posteriormente, o vice-presidente do Cruzeiro revelou como foi o acerto com Mano Menezes. Após a demissão de Paulo Bento, a Raposa precisava de um técnico de pulso firme e correu atrás do treinador, que à época tinha acabado de ser demitido do milionário futebol chinês.

“’Nunca poderia falar não ao Cruzeiro e nem à torcida do Cruzeiro. Estou pronto para o desafio’. Acertamos bem rápido. Quando o Mano Menezes chegou – nós havíamos feito boas contratações no meio do ano -, a gente fez a quinta melhor campanha do returno e chegamos à semifinal da Copa do Brasil e perdemos para o time que foi campeão. Só jogamos mal os 30 primeiros minutos do jogo contra o Grêmio no Mineirão e infelizmente não nos classificamos. Acho que terminamos 2016 de maneira positiva”, complementou Bruno Vincitin em coletiva de imprensa na Toca da Raposa II.

Contratações e novo diretor de futebol

Na segunda parte da Coletiva, o vice-presidente do Cruzeiro mostrou confiança em contratações pontuais para reforçar o elenco e também comentou sobre os jogadores que estão voltando de empréstimo e que poderão ser reintegrados ao plantel do time comandado por Mano Menezes.

“Todos que estão voltando de empréstimo, vamos avaliar. Dependendo das negociações que fizermos, podemos reintegrar. Não está definido”, disse Vicintin, se referindo principalmente ao atacante Neílton e ao lateral Mena, que está voltando de empréstimo após uma ótima temporada com o Botafogo e São Paulo, respectivamente.

“Por enquanto, somente o Fabiano será reintegrado, mas isso pode mudar. Lateral direita é uma posição carente. Trouxemos ele para fortalecer essa posição. Estamos esperançosos para que o Mayke recupere o futebol dele”, revelou Bruno Vicintin, confirmando o único atleta que por enquanto será reaproveitado no elenco de 2017.

“Vamos tomar a decisão achando a pessoa certa, pois não podemos errar. É um cargo de muita confiança. Estamos buscando, temos alguns nomes. Se eu detalhar o perfil, fica muito fácil de descobrir quem é”, finalizou o dirigente da Raposa, se esquivando de dar pistas sobre possível nome para ocupar o cargo de diretor de futebol da Raposa em 2017.

Até o momento, o Cruzeiro confirmou apenas a contratação de Diogo Barbosa, lateral-esquerdo que estava no Botafogo, e o zagueiro equatoriano Luis Caicedo



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.