Cuca revela que indicou a contratação de Diego ao Palmeiras

Montagem: Matheus Martins Fontes/Torcedores.com

Quando Cuca chegou ao Palmeiras, em março, encontrou um elenco inchado, mas desorganizado desde muito antes da saída de Marcelo Oliveira. Com mais de 30 jogadores à disposição, o treinador trouxe poucas peças para o grupo, porém importantes para a conquista do Campeonato Brasileiro, como o volante Tchê Tchê, o atacante Róger Guedes e o zagueiro Yerry Mina.

Mas se engana quem pensa que Cuca não teria pedido mais nenhum jogador à diretoria. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o treinador, hoje fora do Palmeiras para cuidar da família, revelou que o diretor de futebol Alexandre Mattos foi atrás do meia Diego.

LEIA TAMBÉM:
Palmeiras acabou preterido pela Globo mesmo campeão brasileiro e líder de audiência
Mesmo com título, Palmeiras pode ser punido outra vez pelo STJD; entenda
Tchê Tchê revela por que preferiu Palmeiras em meio a assédio de Corinthians e Santos
Gabriel Jesus é craque e Palmeiras domina Seleção do Brasileirão; confira

Crefisa vai investir! Veja as NOVIDADES nas negociações do Palmeiras para 2017

Antes de fechar com o Flamengo, o armador estava encostado no Fenerbahçe, da Turquia, e já acenava com a possibilidade de retornar ao futebol brasileiro.

“Gosto muito do Diego, do Flamengo. É gostoso ver um jogador que veio da Europa e se adaptou bem. O Alexandre até tentou, mas havia impossibilidades”, resumiu o ex-treinador do Palmeiras.

Outro jogador consagrado que encanta Cuca é Robinho. Apesar de ter deixado claro que não indicou a contratação do atacante do Atlético-MG, o treinador afirmou que o jogador ainda pode contribuir e muito. “Robinho estava na China, não estava jogando , nem era titular lá com o Felipão. Voltou muito bem e é tão difícil jogar contra ele”, analisou.

O jogador do Galo terminou o Brasileirão com 12 gols, um atrás dos artilheiros Fred, também do Atlético-MG, Diego Souza, do Sport Recife, e William Pottker, da Ponte Preta.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.