Dani Lins diz que estreantes em clássico precisam de “calma e paciência”

Foto: João Pires/Fotojump

Dani Lins já atuou nas duas equipes e passou pelas mesmas situações que algumas novatas do Vôlei Nestlé irão passar na partida com o Rexona Sesc, nesta terça-feira, no ginásio José Liberati, em Osasco. A levantadora campeã olímpica é uma das líderes do time busca passar tranquilidade para as estreantes no maior clássico do vôlei brasileiro.

Camila Brait, Dani Lins e Tandara já atuaram como titulares em partidas diante do Rexona Sesc. Bia e Saraelen apesar de estarem no time em outras temporadas não eram titulares, assim como a sérvia Malesevic, em sua primeira temporada no Brasil.

LEIA MAIS:

VÔLEI NESTLÉ E REXONA SESC JOGAM COM CENÁRIOS DIFERENTES DAS ÚLTIMA TEMPORADAS
ARGENTINO MULTICAMPEÃO COM O SADA CRUZEIRO ADMITE DESEJO DE TREINAR O BRASIL

Para a levantadora do time sua função é passar o máximo de tranquilidade para as jogadoras fazerem uma boa partida diante do Rexona Sesc. “Transmitir calma e paciência para que elas joguem descontraídas, que certamente as coisas vão fluir melhor. Quando era jovem as experientes sempre me passaram confiança e é isso que estou fazendo neste momento”, revela Dani.

O Vôlei Nestlé ocupa a terceira colocação na classificação da Superliga Feminina de Vôlei, com cinco pontos atrás do adversário desta terça-feira. Em caso de derrota para as cariocas o time pode ser ultrapassado pelas equipes do Terracap Brasília e Genter Vôlei Bauru.

Foto: João Pires/Fotojump