Saiba como a ausência na Libertadores afeta o 2017 do Corinthians

Crédito da foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

O ano de 2016 foi repleto de frustrações para o torcedor do Corinthians que viu a equipe campeã brasileira de 2015 ser desmanchada no início da temporada, depois viu o técnico Tite deixar o time para comandar a seleção brasileira e uma sucessão de erros da diretoria como contratações que não deram certo e treinadores que não souberam comandar o time no caminho da classificação para a Libertadores da América do próximo ano.

Para a torcida, a fase ruim está longe de acabar. Mas para o Corinthians, as coisas podem parecer ainda piores. Ficar fora da Libertadores após disputas consecutivas, gera aos cofres do clube um prejuízo estimado em R$ R$ 30,6 milhões incluindo renda com jogos, cotas de tv e premiações.

LEIA MAIS: CORINTHIANS PARTICIPOU DE 6 DAS ÚLTIMAS 7 EDIÇÕES DA LIBERTADORES
VEJA QUANTO O CORINTHIANS IRÁ RECEBER APÓS ‘MÁ CAMPANHA’ NO BRASILEIRÃO
4 ERROS QUE CUSTARAM A VAGA NA LIBERTADORES PARA O CORINTHIANS

O valor que não será pago é apenas um dos problemas do Timão ao ficar fora do torneio continental. Para os campeonatos que o time participará em 2017: Campeonato Paulista, Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana, a diretoria não fará grandes contratações e entende que um time mais modesto dará conta das participações na disputa destas competições.

Será difícil manter alguns atletas como Fagner e Rodriguinho, que se destacaram nesta temporada, além do goleiro Cássio que segue na reserva mesmo sendo um dos maiores salários do grupo. O camisa 12 tem propostas de alguns clubes e deve deixar o Parque São Jorge no próximo ano.

O treinador Oswaldo de Oliveira, pode ter sua saída do Timão antecipada após o fracasso de não conseguir colocar o time entre os seis melhores do Campeonato Brasileiro. A resistência da maioria da torcida e parte da diretoria com o treinador, pode influenciar para uma renovação na comissão técnica do próximo ano. Com isso, Oswaldo deixaria o comando do time, mesmo com a palavra do presidente de que o treinador cumprirá seu contrato até o final, dezembro de 2017.

O gerente de futebol e ex-jogador do Timão Alessandro Nunes, vem sendo criticado por parte da diretoria alvinegra que pede mudanças no comando técnico da equipe para o próximo ano, a ausência na Libertadores pode fazer com que o presidente Roberto de Andrade aceite o pedido de reformulação no departamento de futebol. Além do próprio presidente, que se defende de um pedido de impeachment e pode aumentar a ira da oposição com os resultados de 2016.