Tite observa Lucas, do PSG, mas alerta sobre concorrentes de “alto nível”

Crédito da foto: Divulgação / Twitter oficial PSG

Em entrevista ao Estadão na manhã desta sexta-feira (25), Tite, técnico da seleção brasileira de futebol, comentou sobre a dificuldade em selecionar atletas para compor o grupo que disputa as Eliminatórias para a Copa da Russia, em 2018. O caso de Lucas, meia-atacante do PSG, foi um dos citados pelo técnico.

O brasileiro vive boa passe no time francês – deu assistência para Cavani e marcou um gol no empate por 2 a 2 contra o Arsenal, pela UEFA Champions League – mas não é convocado para vestir a amarelinha desde junho deste ano, ainda com Dunga. Na oportunidade, ele substituiu Rafinha, machucado na Copa América Centenário, mas não jogou.

LEIA MAIS
LUCAS MOURA APLICA DIBLE DE PELÉ E DEIXA ADVERSÁRIO NA SAUDADE; ASSISTA
LUCAS MOURA ENGANA GOLEIRO E FAZ GOL BIZARRO DE FALTA EM VITÓRIA DO PSG; ASSISTA

“Estou acompanhando [o Lucas], vou assistir; na última [convocação] concorreu com Coutinho, Neymar, Diego Costa e Willian, jogadores de beirada, pelos lados”, explicou Tite. O técnico do Brasil completa, confirmando que irá ao Parc des Princes, casa do PSG, analisar ao vivo a atuação de Lucas. “Quero estar lá, na próxima semana vou assistir jogo do PSG”.

Tite também comenta que tem ciência de que o cargo de treinador da seleção pode levá-lo a cometer algumas injustiças nas convocações. “Eu vou cometer injustiças. Dói não ter Lucas, gostaria de ter Diego Costa , Thiago Alcântara, Davi Luiz e Elias [queestão] fora, acompanho o momento do atleta”. O ex-atleta do Corinthians é banco no Sporting e pode ser negociado a próxima janela.

Por fim, o técnico justificou de maneira divertida a ausência do atleta do PSG, “lamentando” que o setor tenha muitas opções. “No caso do Lucas é um setor com atletas de alto nível, às vezes tem a infelicidade de ter um setor que só tem pica”, finalizou Tite.



Mídias Sociais da AS Roma Brasil, MBA em Gestão Estratégica de Negócios, blogueiro desde 2007 e radialista amador. Escreve sobre futebol italiano, automobilismo e o que aparecer, mas gosta mesmo é de contar boas histórias