Antes de jogo com o Palmeiras, técnico do Galo elogia Gabriel Jesus

Gabriel Jesus
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Na noite desta quinta-feira, 17, Atlético-MG e Palmeiras se enfrentam no Independência, em partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2016. Para o confronto, o técnico Cuca já indicou que deve mandar a campo o garoto Gabriel Jesus, que esteve com a Seleção Brasileira e marcou um dos gols da vitória sobre o Peru, pelas Eliminatórias Sul-Americanas. Antes do jogo de hoje, o técnico do Galo, Marcelo Oliveira, concedeu entrevista ao Lance! e elogiou o atacante palmeirense de 19 anos.

LEIA MAIS:

FLAMENGO VENCE AMÉRICA-MG E DORME NA SEGUNDA POSIÇÃO NO BRASILEIRÃO

DUPLA DO BOTAFOGO RECEBE TERCEIRO AMARELO E DESFALCA A EQUIPE CONTRA O PALMEIRAS

MOISÉS MOSTRA “PREFERÊNCIA” DA FOX PELO FLAMENGO AO PALMEIRAS: “A LEGENDA DEIXO PARA VOCÊS”

Treinador do Palmeiras entre 2014 e 2015, Marcelo levou o time ao título da Copa do Brasil e foi o responsável por lançar Jesus entre os titulares do alviverde. De acordo com ele, desde o início da carreira o atacante despontava como um bom nome para o futuro de seu clube e da Seleção, o que foi ‘facilitado’ com o apoio prestado por Tite a Gabriel.

“Minha expectativa era de que ele se tornasse um dos grandes do Brasil e da Seleção, talvez não em período tão curto. Isso vai da personalidade do jogador em enfrentar as situações. Eu o vejo muito tranquilo. É um menino sereno, que gosta de trabalhar, simples, que aceita muito bem as orientações. É mérito do Tite também, que uma das vezes que me ligou perguntando sobre jogadores do Atlético, me perguntou do Gabriel Jesus. Essa ascensão tão rápida coube também ao técnico da Seleção confiar nele.”

Atualmente, Gabriel Jesus, que ultrapassou o número de gols de Neymar em Eliminatórias, vive um jejum de gols no Palmeiras. Sem marcar gols há oito jogos, o camisa número 33 da equipe de Cuca tem a reta final do Brasileirão para se despedir do Brasil, rumo ao Manchester City, balançando as redes.

Utilizado por Tite como falso 9 na Seleção, o atacante foi indicado por Marcelo Oliveira para ser utilizado também em função do ataque.

“Disse que ele poderia jogar das duas formas, pelo lado ou centralizado. Ele tem uma arrancada de 10, 15 metros, com drible e poder de finalização muito bons.”



Estudante do 8º semestre de jornalismo e amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Atlético-MG e Futebol Feminino.