STJD absolve Flamengo por tumulto em jogo contra o Corinthians no Maracanã

Reprodução

Em julgamento realizado na última quinta-feira, o Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) absolveu o Flamengo e manteve a punição aplicada anteriormente ao Corinthians pela confusão ocorrida no Maracanã, no dia 23 de outubro, durante empate por 2 a 2 pelo Campeonato Brasileiro. Na ocasião, 31 torcedores corintianos foram detidos pela Polícia Militar e 30 deles ainda seguem presos no Rio de Janeiro.

Pelo lado rubro-negro, a decisão do tribunal faz com que o clube não precise pagar multa, tampouco reduza a carga de ingressos para jogos como mandante. Com isso, o Flamengo poderá vender todos os bilhetes à sua disposição no Maracanã para a partida diante do Santos, no próximo domingo.

LEIA MAIS: 
Flamengo é clube com mais representantes em seleção do Brasileirão; confira
Após Muralha, Tite revela que está de olho em outro jogador do Flamengo
Mercado da bola 2017: Flamengo faz sondagem por volante Nilton, ex-Inter e Vasco

Ex-Flamengo, Wallace diz que saiu do clube por receber ameaças de morte; leia entrevista

O Flamengo havia sido denunciado por dois motivos: 1) por um copo que foi atirado no gramado por um torcedor e que acabou atingindo o meia Marquinhos Gabriel, do Corinthians; 2) por conta da briga da torcida do Corinthians, pois entendeu-se que, como mandante da partida, o Flamengo não tomou medidas suficientes para inibir a confusão.

No novo julgamento desta quinta-feira, porém, ficou entendido que não houve falha do Flamengo em relação à segurança no estádio. Já no caso do copo atirado no gramado, o Rubro-Negro foi isentado de culpa pois os torcedores autores da ação foram devidamente identificados após o jogo.

Já o Corinthians seguirá com uma pena de cinco jogos tendo o setor Norte do seu estádio fechado e outras cinco partidas sem poder ter torcedores em jogos como visitante. Além disso, o Timão segue proibido de oferecer ingressos para torcidas organizadas. O Alvinegro, no entanto, conseguiu reduzir a multa inicial de R$ 50 mil para R$ 20 mil.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.