PM evacua até os bares e tira torcedores de ruas do Allianz Parque

Reprodução/Twitter

A decisão da Polícia Militar (PM) de São Paulo de bloquear as ruas próximas ao Allianz Parque e proibir a passagem de torcedores sem ingresso pela região causou tumulto na manhã deste domingo, dia do jogo do Verdão contra a Chapecoense e que pode dar o título brasileiro ao time de Cuca.

Por volta das 10h (de Brasília), os policiais fecharam o acesso às ruas próximas ao estádio do Palmeiras, permitindo a passagem somente de sócios do clube. Vários torcedores ficaram indignados com o cerco da PM, que não permitiu sequer que moradores próximos ao estádio atravessassem a rua para entrar no clube, e houve bate-boca em bares à frente da entrada principal do Allianz.

LEIA TAMBÉM:
5 vezes que os rivais “chiaram”, mas tiveram que aceitar o Palmeiras na liderança do Brasileirão

Policiais retiraram torcedores de dentro de um estabelecimento e um palmeirense chegou a ser ameaçado de prisão por desacato à autoridade, relatou um internauta no Twitter.

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Funcionários do bar tentaram conversar com a PM, mas sem sucesso. Outros sócios lamentaram a ação da PM e criticaram o atual presidente em exercício Paulo Nobre, que apoiou a medida “de segurança”.

Só depois das 11h30 os torcedores com ingresso ou cartão do Avanti carregado para o jogo deste domingo puderam passar pelo cerco montado na Rua Venâncio Ayres (paralela à Rua Palestra Itália).

Consequência: a rua Palestra Itália, que certamente estaria cheia em um dia em que o Palmeiras pode quebrar um longo jejum de 22 anos sem título do Brasileirão, ficou deserta pela manhã e moradores da região, proibidos de sair de casa em direção ao clube.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.