Palmeiras se torna exemplo para o Atlético-MG na Copa do Brasil; entenda

Copa
Crédito da imagem: Bruno Cantini / Atlético MG

Com 3×1 em desvantagem, o Atlético-MG se vê em uma tremenda enrascada na grande final da Copa do Brasil. Dominado pelo Grêmio em pleno Mineirão, o time de Minas Gerais viu o rival sobrar no jogo de ida desta quarta-feira e levar na mala uma considerável vantagem para Porto Alegre. Para a próxima quarta, o Galo terá que fazer o que apenas três times fizeram na história do torneio: ser campeão após perder o jogo de ida.

O Inter, em 1992, no quarto ano do torneio, foi o primeiro time a obter o caneco depois de perder o jogo de ida. Após ser superado por 2×1 no Rio de Janeiro pelo Fluminense, o clube gaúcho encontrou forças e reverteu o placar no Beira-Rio, em Porto Alegre, ao vencer por 1×0. O Sport repetiu a dose em 2008, ao perder em São Paulo por 3×1 para o Corinthians e reverter na Ilha do Retiro para 2×0.

LEIA MAIS:

Galvão Bueno e Muricy se rendem a Douglas: “É o nosso último camisa 10”

Reservas do Grêmio brilham na Arena e torcida manda recado para o Inter

Apenas o Palmeiras, na história da Copa do Brasil, conseguiu ser duas vezes campeão tendo perdido os jogos de ida. O fato se repetiu em 1998 e no ano passado. Na primeira vez, o alviverde foi superado pelo Cruzeiro por 1×0, mas venceu o jogo de volta por 2×0 e conquistou a primeira das três Copas do Brasil que frequentam sua galeria.

O roteiro voltou a se repetir para os palmeirenses na competição do ano passado. Na final diante do Santos, o jogo de ida na Vila Belmiro terminou com um cenário de 1×0 para os mandantes. No Allianz Parque, uma semana depois, o Palmeiras aplicou 2×1 e se valeu do fim do critério de saldo qualificado, levando a decisão para as penalidades máximas, onde o goleiro Fernando Prass brilhou.

Se tentará repetir o que fez o Palmeiras, o Galo vê outra estatística pesar contra a sua atual situação. Tanto nos títulos do Palmeiras (1998 e 2015), como nas vitórias de Inter (1992) e Sport (2008), a reversão do placar ocorreu em casa, isto é, os campeões haviam de fato perdido o primeiro jogo da final, mas atuando fora de casa. Em 2016, pela primeira vez na história, um visitante ganhou o jogo de ida da final da Copa do Brasil.

Mirando o exemplo do Palmeiras e contra todas as demais estatísticas, o Atlético-MG garante que vai confiante para o jogo da volta em Porto Alegre, no dia 30, quarta-feira que vem. Mas vai sem Marcelo Oliveira, demitido nesta quinta. Para forçar uma decisão por pênaltis, o Galo precisará vencer por dois gols de diferença.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.