Opinião: NFL no México e atual conjuntura política nos Estados Unidos

NFL
Foto: Reprodução/ Twitter Oficial do Oakland Raiders

Na última segunda-feira (21), o Monday Night Football foi realizado na Cidade do México. Foi a primeira vez que o evento foi realizado fora dos Estados Unidos. Foi também a primeira vez desde 2005 que o México recebeu uma partida da NFL. Porém, considerando a conjuntura política atual nos Estados Unidos, esse jogo tem muito mais significado do que o que aconteceu há 11 anos.


LEIA MAIS:
NFL: Confira a classificação atualizada após o término da 11ª semana
NFL: Confira todos os resultados da 11ª semana da temporada regular

O MNF na Cidade do México foi um sucesso em termos de público. Com mais de 76 mil presentes – segundo a NFL, os ingressos esgotaram 30 minutos após a abertura das vendas -, a National Football League acertou em cheio na sua escolha. Essa escolha não foi à toa: segundo a CNN Money, a audiência hispânica da NFL aumentou em mais de 28% nos últimos 5 anos. São mais de 22 milhões de fãs apenas no México.

Mas o que isso tem a ver com a política estadunidense? No último dia 8, as eleições presidenciais dos Estados Unidos tiveram um desfecho inesperado com a vitória do candidato republicano Donald Trump. A campanha de Trump ficou marcada, entre outras coisas, por seu discurso carregado de xenofobia. Houveram ocasiões em que o presidente eleito chegou a chamar os imigrantes mexicanos de criminosos e estupradores. Além disso, uma das medidas de Trump é a construção de um muro maior na fronteira entre os dois países. Ele também insiste que o México pague por isso.

Essa aversão do republicano não passou despercebida pelo público presente no Estádio Azteca. Na verdade, ela serviu como um combustível a mais para as vaias entoadas pela torcida mexicana quando o hino nacional americano começou a tocar antes do início da partida entre Oakland Raiders e Houston Texans.

Porém, a NFL aparentemente discorda do posicionamento do presidente eleito e pretende ir de encontro a ele ainda mais. Isso porque o chefe internacional da NFL, Mark Waller, disse em entrevista ao site da NFL que pretende tornar anual um jogo da National Football League em solo mexicano, assim como acontece no Reino Unido, que recebe 3 jogos por temporada. Além disso, existem planos para sediar jogos na Alemanha e até mesmo aqui no Brasil.

A paixão do público mexicano pelo futebol americano é bem clara. Mesmo com as rivalidades históricas entre os dois países, o povo mexicano abraça o esporte do país vizinho ao ponto de tornar a Cidade do México a 7ª maior “fan base” do futebol americano no mundo.

As medidas de Donald Trump podem afetar diretamente com a popularidade da liga entre os hispânicos. Será Trump tão radical ao ponto de cutucar a liga esportiva mais lucrativa do mundo? É dificil saber. O governo do republicano ainda é uma incógnita mesmo na cabeça dos maiores teóricos políticos. O cárater polêmico e contraditório do magnata contribui ainda mais para esse mistério.

Apesar de tudo, uma coisa é certa: a NFL vai continuar a se expandir pelo mundo, com ou sem Donald Trump.



Estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.