OPINIÃO – Demissão de Marcelo Oliveira: o Atlético-MG de Nepomuceno é bizarro!

OPINIÃO - Demissão de Marcelo Oliveira: a coisa certa no momento errado
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

O presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno confirmou, no início da tarde de quinta-feira (24), a demissão do treinador Marcelo Oliveira. O técnico ficou 42 jogos no comando do time alvinegro com apenas 18 vitórias. Foram 14 empates e 10 derrotas. Nesse período, o Galo fez 68 gols e tomou 58 gols.

LEIA MAIS:
NEPOMUCENO NEGA ATRITO, DESCARTA ESTRANGEIRO E CONFIRMA INTERINO ATÉ O FINAL DO ANO
MARCELO SE DIZ SURPRESO COM DEMISSÃO E CLASSIFICA ELENCO COMO “DESEQUILIBRADO”

ATLÉTICO-MG SÓ ESTÁ VIVO NA COPA DO BRASIL POR CAUSA DA SORTE

Em entrevista coletiva, Nepomuceno revelou que Marcelo não fazia parte do planejamento do Atlético para 2017. Partindo dessa fala do presidente do clube, podemos levar em conta alguns aspectos que envolvem essa demissão.

1) Marcelo Oliveira seria demitido de qualquer forma, seja com título da Copa do Brasil ou não. A demissão foi apenas adiantada;

2) O presidente já não confiava no treinador;

3) Apesar de ficar entre os 4 melhores do Brasileiro e entre os dois melhores da Copa do Brasil (resultados bons), Marcelo não convenceu a diretoria do Atlético.

O Atlético de Marcelo Oliveira tinha muitos defeitos. Um time sem padrão tático, que não fazia pressão ao adversário, não exercia nenhum comportamento como time e outras coisas que poderíamos caracterizar. O sistema defensivo do Galo era outra coisa que Marcelo não conseguiu ajustar. A saída de bola era um caos. A criação das jogadas com seus volantes ia de mal a pior. O ataque era literalmente uma bagunça. Era chutão dos zagueiros procurando Pratto, Fred ou Robinho. Às vezes, pelo talento desses jogadores, isso dava certo, mas ainda era muito pouco para um clube recheado de craques.

Entretanto, o que incomoda nessa gestão de Daniel Nepomuceno é a falta de planejamento – problema visto em quase todos os times do país. A começar pela escolha dos treinadores, não que Marcelo, Aguirre, Levir e Autouri são treinadores ruins, mas falta um perfil relacionado ao clube nessas escolhas. Dentre os quatro, Levir Culpi era o nome que mais se identificava à maneira de jogo e aos jogadores. Foi demitido por ser vice-campeão brasileiro. Aguirre e Autuori eram treinadores que visavam muito o sistema defensivo, o que não ajustava ao modelo de jogo do Galo. O próximo treinador tem que ser uma pessoa que saiba trabalhar o coletivo, mas que saiba trabalhar o ataque, sem esquecer da defesa. Roger Machado, ex-Grêmio seria o nome mais indicado do momento.

Daniel Nepomuceno confirmou que Diogo Giacomini será o treinador do Atlético nas últimas três partidas. O Atlético abriu mão total da Copa do Brasil. Demitir um treinador para colocar um interino para comandar a finalíssima do torneio, mais bizarro que isso é impossível! O que parece é que Nepomuceno demitiu Marcelo apenas para dar uma resposta ao torcedor. Mais do que isso, parece que Daniel agiu como um torcedor. Será a segunda temporada seguida que o Atlético termina com um interino no comando. O Atlético de Marcelo Oliveira era bizarro! O Atlético de Nepomuceno É bizarro!

Siga @abnerfaustino no Twitter