Open de Natação inicia disputa por vagas no Mundial de Budapeste de 2017

Crédito da Foto: Satiro Sodré / SSPress

Nesta quarta-feira (23), os principais nadadores do país começaram a buscar uma vaga para o Mundial de Esportes Aquáticos de 2017, em Budapeste. O Troféu Daltely Guimarães e o Torneio Open 2016 de natação serão disputados simultaneamente, entre hoje e o próximo sábado (26), em Palhoça/SC.

LEIA MAIS
ARRASADOR, CORINTHIANS VENCE TROFÉU ALBERTO MARTINEZ PEREZ
VANGUARDA OLÍMPICA, CORINTHIANS “SUPERA EXPECTATIVAS” NO PAULISTA DE NATAÇÃO

Na parte da manhã são disputadas as provas do Troféu Daltely Guimarães – já valendo medalhas. Os oito melhores disputarão a mesmas provas no Open, a partir das 19h30. Para as vagas no mundial, valem os índices obtidos nos dois torneios de Palhoça e no Troféu Maria Lenke de 2017.

Nesta quarta-feira, Leonardo de Deus (com 1m58s39) e Gabriela Mello (com 2m16s10), ambos do Corinthians, conquistaram suas primeiras medalhas de ouro nos 200m costas. “Eu senti o reflexo da temporada, mas a gente está aí para tentar o máximo”, disse Leo de Deus.

O nadador crê que tem melhores chances de índice nos 200m borboleta. “Vou tentar descansar tudo o que eu puder pra nadar melhor o sábado. Fizemos agora uma preparação para o Mundial (em piscina curta, em dezembro). Este é o objetivo principal, mas fizemos tudo o que foi possível para vir para este Open competitivo”, explicou Leo.

MAIS MEDALHAS

A distribuição de medalhas no primeiro dia continuou com as pratas de Brandonn Pierry e Natália de Luccas (ambos do Corinthians).

Daynara de Paula (26s86) e Etiene Medeiros (27s30), foram ouro e prata nos 50m borboleta. Thais Xavier (27s60), do Fluminense, ficou com o bronze. Entre os homens, Henrique Martins (23s52), do Minas Tênis; Leonardo Schilling (24s00), do Marista, e Pedro Vieira (24s11), do Corinthians formaram o pódio.

“Foi bom. Gostei do meu resultado para o primeiro dia. Para terminar o ano eu queria dar o meu melhor. Ainda não foi, mas está próximo. À noite vou tentar melhorar a minha marca – disse Daynara.

“Estou focando nas provas, já que não estou treinando. Serve como uma motivação para o Mundial. Devo cair na água sete vezes e também busco sempre os melhores pontos para o Sesi e dar uma força para as meninas “ – completou Etiene.

A natação brasileira conta com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros -, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal – Ministério do Esporte, COB, Speedo e Estácio.



Mídias Sociais da AS Roma Brasil, MBA em Gestão Estratégica de Negócios, blogueiro desde 2007 e radialista amador. Escreve sobre futebol italiano, automobilismo e o que aparecer, mas gosta mesmo é de contar boas histórias