No dia do Decreto, relembre 7 jogadores que já deram um ‘Mim Acher’

Decreto
Foto: Arte - Torcedores.com (imagens de reprodução)

Olhe para o relógio, caro leitor. Com os olhos, tente acelerar os ponteiros até que as 18h se aproximem, para que enfim o decreto do final de semana seja liberado. Nova febre da internet, o “decreto” nem sempre foi respeitado pelos jogadores, que, na ânsia de quebrá-lo, deram o famoso ‘Mim Acher’ e deixaram na mão dirigentes, treinadores, colegas e torcedores.

 

Corinthians
Foto: Divulgação/ Corinthians

Se hoje Jô carrega a palavra de Deus por onde quer que vá, nem sempre foi assim. Quando ainda atuava pelo Inter, em 2012, uma balada até altas horas na véspera de uma viagem à Bolívia, para um jogo da Libertadores, o tirou de cena. De ressaca, o atacante não conseguiu se recompor para viajar com os colegas.

“O jogo era numa quarta-feira, íamos viajar numa segunda-feira. Acabou o jogo do (Campeonato) Gaúcho no domingo e fui beber. Saí e cheguei tarde em casa. E dormi. Estava separado na época. Até acordei no horário, mas de ressaca, não tinha como”, contou em entrevista recente.

GUILHERME

Centroavante nato e exímio cabeceador, Guilherme pulava como poucos para subir mais alto que os zagueiros e testar a bola para as redes. Mas esses eram os pulos bons. Em 1998, um outro pulo abreviou sua passagem pelo Grêmio e ainda gerou um tremendo mal estar com a comissão técnica comandada por Celso Roth.

Foto: Reprodução/ Galo Digital
Foto: Reprodução/ Galo Digital

Em parceria com o volante Beto, o atacante arquitetou uma fuga da concentração gremista em um domingo à noite rumo a um churrasco regado a cerveja e pagode com os amigos. Mas os planos foram frustrados após uma trapalhada do próprio fujão. Ao tentar pular um muro de cerca de três metros, Guilherme acabou batendo a cabeça e veio a sangrar na hora. No instinto, um segurança de uma churrascaria vizinha ainda o confundiu com um ladrão.

“A gente tinha jogado um jogo no domingo e empatado em 0x0. E a galera já havia combinado esse churrasco com pagode e tudo mais. E aí sem que nenhum jogador soubesse o Celso Roth inventou essa concentração já no domingo”, lamentou Guilherme.

WALTER

“Cadê o Walter?”, perguntavam os companheiros de Inter ao notarem a ausência do atacante nos treinamentos ainda em março de 2010. Insatisfeito com uma crítica do técnico Jorge Fossati, Walter resolveu se trancar em casa na companhia da namorada e orientou o porteiro do prédio a não deixar ninguém passar. Acabou se reabilitando e foi importante em alguns jogos na conquista da Libertadores, mas voltou a faltar treinos em junho, já sob comando de Celso Roth. A diretoria perdeu a paciência e o negociou com o Porto.

VAMPETA

O Velho Vamp não poderia faltar nessa lista. Irreverente como poucos, o folclórico volante do futebol brasileiro quebrou o decreto em terras estrangeiras e quase deu o “Mim Acher” perfeito, não fosse a polícia do Kuwait, país onde jogou entre 2004 e 2005. De acordo com as leis locais, bebidas alcoólicas dentro do carro em local público são proibidas. Mas vai avisar o Vampeta..

Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Tentando burlar as leis, Vamp encheu garrafinhas de Gatorade de bebidas alcoólicas e acabou parado numa blitz. “Fui pego nessa blitz, e não pode bebida nas ruas do Kuwait. Os caras olharam meu carro, eu não sabia falar nada de inglês, ai fod…fui preso. Os caras não quiseram saber se era jogador não, não tinha dessa. Acabei trocando uma resenha lá com os caras da delegacia e até bati uma bolinha com eles”, relembra Vampeta. O ex-jogador do Santos, Adiel, que também estava no país na época, garante que teve que ir na delegacia pagar fiança para o amigo.

ADRIANO

Você já estava sentido falta dele, não é mesmo? Didico jamais poderia faltar em uma lista como essa. A personificação do “Decreto” e do “Mim Acher” colecionou gols e títulos por onde passou, mas vá tentar convencer a fazer um treino físico logo de manhã cedo…

Adriano Imperador
Foto: Reprodução/ Twitter

Para ficar só em um caso, relembremos a ausência em um treino no Flamengo, em 2009, quando ele não foi realizar testes físicos sob a alegação de que teria que comparecer a uma audiência judicial na Vara de Família. Ele só não contava com uma agência de fotografias o flagrando bem tranquilo na praia tomando água de coco. Que saudades, Didico!

RONALDO E ROMÁRIO

E esse “Mim Acher” duplo? Em um evento com a Seleção em 2011, Ronaldo Fenômeno admitiu que participou de um grande esquema de fuga de concentração em uma Copa América da década de 90 – pelo relato, o mais provável é que tenha sido em 1997, na Bolívia. Segundo ele, um táxi já esperava ele e Romário do outro lado do muro do hotel.

“Foi um esquema mega profissional. Não me lembro se foi na Copa América de 1997 ou 1999, mas ele me chamou para ir a um lugar, me levou para o fundo do hotel, subiu no muro e do outro lado já tinha uma escada e um taxi esperando. Mas não posso dar muitos detalhes para não complicar”, contou na época.

Já pensou essa dupla junta na noite?

 

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.