VÍDEO: Neto detona Fagner após lateral reclamar de salários atrasados: “Cala a boca”

Neto
Foto: Reprodução/TV Bandeirantes

Na última sexta-feira, Fagner deu coletiva no Corinthians e respondeu sobre os salários atrasados no clube. O jogador confirmou o fato e cobrou uma postura da diretoria nos próximos dias para resolver a situação. Porém a cobrança não caiu bem com Neto, que reclamou do jogador nesta segunda-feira em seu programa “Os Donos da Bola”.

LEIA MAIS
10 ZOEIRAS QUE O ‘MALUCO DO TELÃO’ PODERÁ FAZER CASO O CORINTHIANS VENÇA O INTER

Para Neto, o jogador falou sobre os salários atrasados porque já está negociado para sair do clube e ainda ressaltou que Fagner só está na seleção pelo que fez ano passado, pois “nesse ano não está jogando nada”.

“Como é que você vai expor o Corinthians assim desse jeito? Tá devendo? Vai lá no Roberto de Andrade e bate de frente com ele, foi para a seleção pelo que fez ano passado, porque esse ano não está jogando nada”, disse Neto.

“Agora quer vir dar uma de bonzão, de gostosão na coletiva falar que os salários estão atrasados? Você nunca falou isso… e não é a primeira vez que atrasa o salários (…) Agora vem falar agora, faltando três rodadas, o Corinthians numa crise danada? Cala boca, rapaz. Se eu sou o treinador você estava fora”, finalizou.

ASSISTA: 

O Corinthians divulgou na última semana em nota que o clube estava com parte dos salários atrasados e na sexta-feira, Fagner foi questionado sobre e confirmou o fato.

“Não é fácil, né? A gente sabe que há muito tempo isso não acontecia aqui, mas desta vez foi um fato que aconteceu. A gente vai tentar deixar isso de lado para que a diretoria resolva o quanto antes e fazer nosso papel dentro de campo para que as vitórias aconteçam”, explicou o jogador.

“Conversando com a maioria dos atletas o salário de novembro não foi pago ainda. Espero que isso seja resolvido. Com os atletas ninguém falou nada, só eu mandei mensagem para o Alessandro (Nunes, gerente de futebol do Corinthians) e ele disse que seria resolvido nos próximos dias. Até vimos se dava para conversar com eles hoje (sexta-feira) e ter uma posição definitiva para passarem alguma coisa”, completou Fagner, que preferiu não comparar a situação com a que viveu ano passado.

“A comparação é difícil de fazer. Era outro grupo, situações diferentes. Esse ano foi complicado por todo mundo que saiu, tivemos que refazer o time duas vezes, saíram jogadores, chegaram, pressão é grande. Um clube como o Corinthians precisa estar sempre lá em cima, é fato. Mas com relação a salário tem que ser resolvido lá dentro, o pessoal está se empenhando para resolver o quanto antes. Nós temos que fazer nosso trabalho em campo”, finalizou.



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.