Nascar: Jimmie Johnson é o campeão da Sprint em corrida inesquecível

Reprodução: NBC, Fox Sports Brasil

Jimmie Johnson vence todas as adversidades possíveis, conquista a Sprint Cup 2016 e torna-se campeão da Nascar pela sétima vez.

Após 36 corridas e 10 meses de competição, a principal categoria do esporte a motor norte-americano encerrou a temporada 2016. Os 4 pilotos mais bem colocados correram para tentar chegar na frente e se tornar campeão da decisão do Chase, a etapa final do campeonato, que ocorreu em Homestead, Miami. Joey Logano, Jimmie Johnson, Kyle Busch e Carl Edwards eram os pilotos capacitados a se tornarem campeões neste dia.

Uma corrida que começou antes mesmo da bandeira verde. O carro de Jimme Johnson não passou pela inspeção pré-corrida exigida pela Nascar, um processo realizado antes de todas as corridas pelos organizadores para detectar eventuais irregularidades nos carros. Por conta disso, JJ teve que largar na última posição, e não em 14º, como tinha sido determinado pelo qualificatório.

Kyle Busch foi o mais bem colocado dentre os pilotos do Chase na largada, saindo em 9º. Logo atrás, em 10º, largou Carl Edwards, e Joey Logano largou em 13º. Dada a largada, J.Johnson parecia determinado, ultrapassando 10 carros apenas na 1ª volta, e mais 2 pilotos na volta seguinte. Carl Edwards ganhou posições importantes e se estabilizou em 6º, enquanto Kyle Busch se manteve em 9º. Joey Logano também ganhou posições na largada e se estabilizou em 11º.

Antes da primeira amarela, com 27 voltas de corrida, Jimmie Johnson (11º) encostou em Joey Logano (10º), recuperando rapidamente as posições perdidas antes da largada. No retorno da corrida após a bandeira amarela, Carl Edwards, que ocupava a P3, ultrapassou Keselowski e Harvick, assumindo a liderança isolada da corrida.

Depois de mais algumas voltas sob bandeira verde, os pilotos do Top 4 do Chase se estabilizaram entre os 10 primeiros colocados da corrida. Carl Edwards foi o piloto com melhor desempenho, ultrapassando o pelotão da frente com certa tranquilidade e se estabilizando na liderança diversas vezes. Kyle Busch e Carl Edwards se alternavam nas primeiras cinco colocações, e Jimmie Johnson chegava na P6.

As bandeiras amarelas não estavam aparecendo, ao contrário do ano passado. Poucos acidentes foram registrados, e por isso as duas primeiras paradas nos pit stops foram feitas sob bandeira verde. Durante as paradas, um novo “adversário” surgiu para Jimmie Johson, a equipe de mecânicos da Hendrik. Os demais pilotos do Chase paravam com médias de 11, 12seg. Mas as paradas da equipe de JJ estavam com médias de 15, 16seg, fazendo o piloto perder posições diversas vezes, afastando-o do pelotão do Chase.

A terceira bandeira amarela foi causada por “detritos na pista”, num momento em que a corrida atravessava um momento de calma e estabilidade, onde ultrapassagens praticamente não mais ocorriam. A “amarela” chegou um pouco depois de mais uma rodada de paradas nos pits, e nas paradas, mais uma vez Jimmie Johnson foi prejudicado.

Faltando 85 voltas para o encerramento, momento em que o pôr do sol era evidente em Miami, as posições P2, P3 e P4 estavam ocupados por Logano, Edwards e Kyle Busch. Os três pilotos evitaram duelos para poupar pneus e gasolina para as voltas decisivas, buscando administrar suas posições. Enquanto isso, J.Johnson teve que optar pela estratégia reversa, para deixar a 10ª posição e chegar novamente no pelotão do Chase.

A situação acima seguiu por umas 20 voltas, quando R.Blamey rodou e provocou uma nova bandeira amarela, a 4ª da corrida. Mais uma vez, os quatro pilotos pararam para a troca de pneus e reabastecimento. Dessa vez, o pit stop de Jimmie Johson foi digno, e todos os pilotos pararam na faixa de 12seg. No retorno sob bandeira verde, Logano e Busch mantiveram suas distâncias, mas Carl Edwards foi ultrapassado por Jimmie Johnson.

Todavia, com 55 voltas restantes, J.Johnson foi superado por C.Edwards, que ocupou a P5. A diferença entre os dois carros era considerável, com mais de 1seg de diferença, muito por conta da fragilidade do carro de JJ. Com o avanço da corrida, Carl Edwards, que aparentemente tinha o carro com melhor desempenho, continuou ultrapassando seus adversários, inclusive Joey Logano, assumindo a P2. A cada setor, tirava a diferença do P2 Kyle Busch, faltando menos de 35 voltas para o término da corrida.

A noite cai, e a disputa se acirra entre Carl Edwards e Kyle Busch, que passaram a protagonizar o duelo no final da corrida. Edwards seguiu diminuindo a diferença com Busch, até ultrapassá-lo quando faltavam cerca de 25 voltas para o final do campeonato, assumindo a P2. Busch tentou resistir ao máximo possível, mas os pneus desgastantes de seu carro evitaram seu êxito ao tentar segurar a posição.

Quando a situação parecia estar definida, uma nova bandeira amarela surgiu, com a rodada de Dylan Lupton, ocasionada por conta do desgaste de pneus de seu carro. Uma nova parada nos pits ocorreu, e Jimmie Johnson voltou para a disputa, relargando na frente de Kyle Busch, que teve uma péssima parada de pit stop com 14.2seg e retornou atrás de todos os Chasers.

Na relargada, um acontecimento inesperado. Uma “big one” (grande acidente) marcou o fim de prova, envolvendo simplesmente dois dos pilotos envolvidos no Chase. Carl Edwards bloqueou a passada para Joey Logano, que acabou tocando-o e causando um acidente que envolveu outros 10 pilotos, ocasionando ainda uma bandeira vermelha. O acidente, que para muitos não foi imprudente, ocasionou ainda a bandeira vermelha. Certamente foi o momento mais inesperado da prova. Após o acidente, Carl Edwards pediu desculpas para a Team Penske, equipe de Joey Logano. Edwards saiu da corrida, Logano seguiu após a bandeira vermelha.

Depois de 30 minutos de paralisação, relargada que durou apenas uma volta, pois Stenhouse perdeu o controle do carro do pelotão dos últimos colocados e provocou uma nova bandeira amarela, ocasionando a prorrogação. Durante este período, Joey Logano e Kyle Busch aproveitaram para trocarem os pneus, mas sem reabastecimento de combustível.

No retorno da corrida, prorrogação de 3 voltas. Não houveram acidentes, K.Busch voltou na P12, Logano na P3 e Jimmie Johnson na P2, tendo na sua frente apenas Kyle Larson, que tinha dominado toda a prova na liderança. Mas a noite era de Jimmie Johnson, que teve combustível e pneus suficientes para abrir de seus concorrentes, ultrapassar Larson, manter-se na liderança e vencer a corrida, além do campeonato. Jimmie Johnson chegou ao seu 7º título na Nascar, entrando para a história como maior vencedor, ao lado da lenda “The King” Richard Petty.



Apaixonado por esportes e pelo jornalismo. Grande seguidor do futebol, do automobilismo, dos esportes americanos e fã incondicional da NFL.