5 motivos que podem ter causado a saída de Ricardo Gomes do São Paulo

Ricardo Gomes
Foto: Divulgação/saopaulofc.net

O São Paulo anunciou na manhã desta quarta-feira a saída de Ricardo Gomes do comando técnico do clube. Sendo assim, Pintado é quem irá comandar interinamento a equipe nas rodadas finais do Brasileirão. Mas apesar dos dirigentes afirmarem recentemente que o treinador estava confirmado para 2017, a verdade é que uma negociação já estava sendo planejada.

LEIA MAIS
ENQUETE: QUEM DEVE SER O NOVO TÉCNICO DO SÃO PAULO? VOTE
ENQUETE: A DEMISSÃO DE RICARDO GOMES NO SÃO PAULO FOI JUSTA? VOTE

O período que Ricardo Gomes ficou no São Paulo não foi satisfatório e foi abaixo do esperado pela diretoria. Afim de tentar dar início a organização da equipe já neste final de temporada para mudar a cara do time em 2017. Mas alguns fatores devem ter sido levados em conta para a saída do treinador e o Torcedores.com separou alguns abaixo.

– Números insatisfatórios

Ricardo Gomes esteve à frente do São Paulo em 18 jogos e seu retrospecto não foi nada bom. Foram seis vitórias, cinco empates e sete derrotas. Aproveitamento bem abaixo, apenas 43% o número perfeito para a diretoria ver que o treinador não é a pessoa certa para comandar o Tricolor em 2017.

– Time com irregularidades em campo

Assim como os números acima disseram, o São Paulo não é um time empolgante de se assistir. Ricardo Gomes não conseguiu colocar um padrão tático em campo.

– Jogador com mais “moral” que o técnico

Ricardo Gomes desde que chegou no São Paulo pouco falou “grosso”. Na última semana, Rodrigo Caio afirmou que não era contra uma reformulação na equipe e ganhou “moral” com a diretoria. Talvez tenha faltado postura mais firme de Ricardo Gomes quanto aos jogadores.

– Impaciência da torcida com jogadores sem prestígio

Ricardo Gomes desde que chegou no São Paulo falou em recuperação de Wesley, jogador que não é querido pelos são-paulinos. O meia sempre jogou com o treinador e mesmo com a confiança de Gomes, nunca convenceu os torcedores. Assim como Carlinhos, que entrou no decorrer do jogo contra o Grêmio, na última quinta-feira, e foi vaiado por grande parte dos adeptos que foram ao Morumbi.

– Ter um treinador com mais “pulso firme” em 2017

Rogério Ceni, Roger Machado, Abel Braga… nenhum destes ou qualquer outro mais experiente pode ser descartado. Isso porque a diretoria quer um treinador que cobre o grupo, que tenha mais comando sobre os jogadores e que tenha a capacidade de gerir um grupo de atletas.



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.