Jogador é pego no antidoping por remédio para ereção

Douglas Araújo - CRB

Em meio há tantos casos de clubes grandes do país, um chamou a atenção por ser uma história inusitada: o CRB solicitou recurso voluntário ao Pleno para reduzir a pena do volante Olívio, que testou positivo no antidoping.

LEIA MAIS

OPINIÃO “BLACK FRIDAY”: 10 JOGADORES BONS E BARATOS PARA 2017

O curioso é o motivo alegado na defesa do atleta: uma suposta disfunção erétil onde utilizou um gel base de testosterona para aumentar a libido. A informação é do Globo Esporte.

“O Olívio alegou que estava com disfunção erétil. Ele está no segundo casamento, querendo atender os anseios da esposa, querendo ter um filho e, com essas dificuldades, ele recorreu a um especialista, indicado por mim. O creme à base de testosterona foi passado para melhorar a libido dele. O uso foi suspenso pelo atleta, porque não deu o resultado esperado”, declarou o médico do clube, Gilson Heleno Barbosa Silva ao portal Globo Esporte.

O advogado que defende os alagoanos deu mais detalhes sobre o caso. Osvaldo Sestário citou a transparência do atleta a todo momento, a falta de comunicação entre os departamentos médico e jurídico e, confessou, que, além de tudo, o remédio não surtiu efeito.

“O Olívio procurou o médico do clube. O médico disse para ele procurar um especialista. Lá, foi realizado um exame no atleta que constatou níveis baixos de testosterona. Foi receitado um gel base de testosterona. Só que, além de não ter dado o resultado esperado, o atleta não se sentiu satisfeito e interrompeu o uso. É importante frisar que ele comunicou ao departamento médico que estava usando o remédio. Infelizmente houve um equívoco e o departamento jurídico não foi informado. Entrei com um pedido de esclarecimento dos fatos. Ficou uma dúvida no júri se o atleta tinha admitido o uso. Ele assumiu a culpa”, disse Sestário ao GE.

O volante testou positivo para a substância IRMS, há mais de 6 meses, em maio, antes de um duelo contra o Vasco. Foi suspenso por 30 dias, voltou com um efeito suspensivo, mas, em outubro recebeu a pena de 1 ano.

Ainda cabe recurso ao órgão internacional, a Agência Mundial Antidoping, que é pra onde o advogado vai apelar após essa decisão.