Grêmio massacra o Galo em Minas e está com uma mão na taça

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

A equipe do Grêmio venceu nesta quarta-feira (23) pelo primeiro jogo da final da Copa do Brasil. Com dois gols de Pedro Rocha e um de Éverton, que entrou no segundo tempo no lugar de Douglas, o Tricolor conquistou a vitória por 3X1 no Mineirão. O Imortal ainda teve o autor dos dois gols expulso, com dois cartões amarelos.

A vitória por 3X1 praticamente põe o Grêmio como campeão da Copa do Brasil, mas, como todos os atletas dos futebol, os jogadores gremistas ficam com o discurso de pés no chão e coerência na partida de volta, na Arena. É a terceira vez seguida em que o Tricolor visita o Galo e vence com tranquilidade.

LEIA MAIS:

PRÊMIO TORCEDORES.COM DE JORNALISMO COLABORATIVO
Prêmio Torcedores.com terá sua 2ª edição em 2016

O primeiro gol gremista veio com uma linda enfiada de bola do capitão Maicon para Pedro Rocha, que cortou para a esquerda, tirando totalmente o zagueiro Gabriel da jogada, e com a própria canhota finalizou no canto esquerdo do goleiro Victor. Na comemoração, o jogador tirou a camisa e tomou o seu primeiro cartão amarelo. No segundo gol, também do atacante, fez uma incrível jogada individual e só tocou na saída do goleiro atleticano. Treze minutos após o gol, o próprio Pedro Rocha levou outro amarelo e acabou sendo expulso por cometer falta em seu adversário.

O Atlético Mineiro diminuiu com o zagueiro Gabriel, que aproveitou um escanteio, mal marcado, e soltou o pé e guardou nas redes do goleiro Marcelo Grohe. Aos 45 do segundo tempo, o zagueiro Pedro Geromel engatou a 6ª marcha pela esquerda e cruzou na área mineira, tendo a finalização de Éverton para o gol.

A taça já está em uma mão e, para estar na outra, é preciso não perder por três gols de diferença na Arena, o que aconteceu uma única vez, para o Sport este ano. Vários setores já não têm mais ingressos disponíveis, tudo indica que a torcida comparecerá em peso para ver o time levantar a taça, afinal, já são 15 anos de espera. O Grêmio tem uma chance enorme de sair campeão e não pode desperdiçá-la.