Ex-zagueiro vira treinador, mira Inter e diz: “Tudo isso servirá de lição”

treinador
Crédito da foto: Reprodução/Facebook - Marcelo Antônio Sangaletti

É no interior de São Paulo que o ex-zagueiro Marcelo Sangaletti iniciará sua carreira como treinador de futebol. No início de novembro, ele foi confirmado como o novo comandante do Noroeste, que disputará a Série A3 do Campeonato Paulista em 2017. Além de ter se formado em Educação Física, Sangaletti fez o curso de treinadores disponibilizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) antes de aceitar o primeiro desafio.

LEIA MAIS:

Messi? Cristiano Ronaldo? Conheça o jogador mais rico do mundo

Reservas do Grêmio brilham na Arena e torcida manda recado para o Inter

Mesmo distante, Sangaletti não deixa de acompanhar um dos clubes que mais marcou a sua carreira. Em 2003, foi o primeiro jogador contratado pelo “novo” Inter, que deixaria medalhões para trás, apostaria em jovens e ali sedimentaria o caminho para as grandes conquistas do ano seguinte. Em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, o ex-defensor lamenta o momento do ex-clube e mira um dia retornar ao Beira-Rio.

“Nada do que acontece no futebol é por acaso, mas com certeza isso que está acontecendo com o Inter nessa temporada servirá de lição para os próximos anos. Servirá para que exista mais cuidado com o planejamento para as temporadas seguintes. Eu ainda acredito que o Inter permaneça na Série A”, opinou o treinador do Noroeste.

Foi justamente no Inter que Sangaletti encontrou o seu perfil ideal para seguir como treinador. De 2003 a 2005, ele foi comandado por Muricy Ramalho e participou de duas conquistas gaúchas e do polêmico Brasileirão de 2005, vencido pelo Corinthians a partir de uma decisão do STJD em anular os 11 jogos apitados por Edílson Pereira de Carvalho, envolvido em um esquema de compra de resultados.

“Durante a minha carreira, posso dizer que tive inúmeros e excelentes treinadores, com os quais eu pude aprender bastante. Mas se fosse para citar um eu diria o Muricy Ramalho, sobretudo pela convivência que nós tivemos quando trabalhamos juntos. Pela honestidade que ele teve durante a carreira, virou referência para muita gente. Mas é claro que eu também tenho a minha maneira de trabalhar”, disse.

No Noroeste, Sangaletti promete focar o seu trabalho tanto na gestão do grupo quanto na parte tática. Ele entende que as duas coisas precisam andar juntas para o sucesso no futebol.

“Com certeza, temos que focar um todo, mas não tem como você desenvolver a tática e a estratégia e outros detalhes sem a gestão, principalmente no início, pois tenho que conhecer o clube em geral, funcionários, diretoria, torcida, comissão e principalmente os atletas. A gestão é essencial dentro e fora do campo e tenho tempo para desenvolver”.

Aposentado dos gramados no próprio Inter em 2005, Sangaletti já está há mais de 10 anos longe do clube que ajudou, em campo, a se reerguer. Muito por isso aguarda um retorno: “Com certeza seria um sonho… quem não quer treinar um clube campeão mundial?”.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.