Comentaristas da ESPN elegem o melhor jogador do Palmeiras no Brasileirão

Palmeiras
Foto: Reprodução

O Palmeiras está perto de quebrar o jejum de 22 anos e conquistar seu nono título do Campeonato Brasileiro. Durante a campanha, diversos atletas do elenco alviverde se destacaram e muitos surpreenderam, depois de chegarem sem muita “pompa” e ganharam moral tanto com Cuca, como com a torcida do Verdão.

LEIA MAIS

Mauro Cezar também comenta “cheirinho” após empate do Flamengo

Nesta segunda-feira, os comentaristas da ESPN discutiram durante o programa Linha de Passe quem é o grande nome desta campanha palmeirense e chegaram a três nomes: Dudu, Moisés e Gabriel Jesus.

Ao escolher entre um dos três, os comentaristas divergiram seus opiniões quanto ao melhor. Para Mauro Cezar e Arnaldo Ribeiro, Gabriel Jesus foi o jogador mais importante do Palmeiras em 2016, sendo decisivo durante o Campeonato Brasileiro.

“O Palmeiras é um time que não tem brilho e que se impõe pela força e pela entrega, mas eu acho que quando precisou tirar um coelho da cartola foi o Gabriel Jesus. Contra o Flamengo o time sofria para empatar e aquele gol, domínio e corte no Pará e a batida seca no canto é coisa que poucos conseguem fazer”, disse Mauro.

Gian Oddi afirmou que contra o Botafogo o melhor do jogo foi Dudu, mas mesmo assim ficou com Moisés, exaltando sua regularidade em todas as partidas do Brasileirão.

“O Moisés desde o primeiro jogo até o último do Palmeiras, sempre jogando bem. Lembrando que a função dele no time mudou com o decorrer do campeonato e ainda muda. Em determinando momento ele é o volante, em outro é o meia e em geral, consegue desempenhar essas funções em todos os jogos.”

Juca Kfouri elegeu Moisés como o melhor do campeonato, apesar de elogiar Dudu pela sua grande partida diante do Botafogo. O comentarista também mencionou Tchê Tchê. “O Moisés está jogando demais. Se fosse para escolher hoje eu votaria no Dudu. Ele jogou demais contra o Botafogo, mas eu estou achando que estamos sendo injustos com um jogador: o Tchê Tchê”.