Em busca de paz na reta final, Inter sai do Beira-Rio e vai treinar em retiro

Inter
Foto: Divulgação/Twitter Oficial do Internacional

Se a situação não é nada boa em campo, o clima fora dele também não é dos mais legais para o Inter. No início desta semana, enquanto os reservas trabalhavam no CT Parque Gigante, uma cena assustou a todos que acompanhavam o treino. Para dissipar um protesto, um policial à paisana sacou uma arma para acalmar as manifestações. Antes disso, na última quinta, houve quebra-quebra no estádio após o empate em 1×1 com a Ponte Preta.

LEIA MAIS:

Em entrevista coletiva, Seijas mostrou porque é o mais lúcido jogador colorado

 

Diante desse quadro de muita instabilidade e até certa insegurança, o Inter decidiu sair do Beira-Rio no restante dessa semana e ir trabalhar em um retiro. Já a partir de quinta-feira, o grupo de jogadores comandado por Lisca vai trabalhar no Hotel Vila Ventura, em Viamão, região metropolitana de Porto Alegre, justamente para evitar o contato com a torcida e até mesmo com a imprensa, já que as atividades deverão ser feitas com portões fechados.

O regime de concentração será intenso. Está previsto que os jogadores durmam no resort de quinta para sexta-feira, quando novas atividades serão feitas no retiro. É possível que o técnico Lisca encaminhe o time titular que enfrentará o Cruzeiro, domingo, no Beira-Rio, na atividade de sexta.

A mudança no cronograma de preparação do Inter surge como outra cartada contra o rebaixamento. Após a derrota por 1×0 para o Corinthians, na última segunda-feira, as chances de queda colorada – que seria a primeira da história – chegaram a 90%, segundo matemáticos. Dependendo da combinação de resultados, o Inter pode ser rebaixado já na próxima rodada.

Para isso, precisaria tropeçar no Cruzeiro, domingo, em casa: se empatar e o Vitória vencer o Coritiba, na segunda, no Paraná, os gaúchos caem. Se por caso o Inter perder para os mineiros, um simples empate livrará os baianos e rebaixará os colorados. O jogo entre Coritiba e Vitória ocorre na segunda-feira, o que fará com que, no pior cenário, o Inter veja o seu próprio rebaixamento pela televisão.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.