Diretoria do Inter prepara segurança para o jogo decisivo no Beira-Rio

Inter
Foto: Reprodução/ Facebook oficial do Gigante da Beira-Rio

Com grandes riscos de ser rebaixado no Campeonato Brasileiro, podendo confirmar a queda já na próxima rodada, o Internacional vive o pior momento de sua centenária história. E a sua torcida não demonstrou paciência, como esperado. 

Na última partida do Inter no Beira-Rio, no empate com a Ponte Preta, a torcida se revoltou com a atuação e a situação que o time se encontrava e fez do estádio, por alguns minutos, parecer um campo de guerra. E a diretoria do Colorado, ciente de que a confusão pode acontecer novamente, já está se precavendo para o jogo do próximo domingo, caso o pior aconteça.

LEIA MAIS:
Ué? Globo “acerta” mandos de campo da final da Copa do Brasil antes do sorteio

A direção do Inter está montando uma operação para deixar o Beira-Rio intacto e não permitir que vândalos tentem depredar o patrimônio do clube. O vice-presidente de administração do Inter, Alexandre Limeira, em entrevista à Rádio Bandeirantes, afirmou que a prevenção está sendo tomada pelas ameaças de depredação do Beira-Rio:

“Há muitas ameaças em redes sociais dizendo que quebrarão o estádio do Inter. Queremos o jogo Inter contra Cruzeiro com um ambiente de paz.”

A má fase do clube gera toda a revolta dos apaixonados torcedores, mas para Limeira, nada pode passar do ponto dos protestos e assim que as agressões começam, é necessário dar um basta:

“O torcedor tem razão em estar insatisfeito, na indignação e em se manifestar, mas há alguns que passam o ponto da manifestação, com violência. Isso precisa ser combatido. Quem vai com touca ninja contra patrimônio, funcionários, dirigentes ou jogadores está ultrapassando os limites. Eles precisam ser identificados, monitorados.”



Jornalista formado pela FIAM FAAM. Apaixonado por futebol independente do país ou divisão. Setorista do Inter e esportes olímpicos. Contato: mohamed.nassif12@hotmail.com