Cruzeiro consegue decisão favorável no caso Riascos

Crédito da foto: Washington Alves/Light Press/ Site oficial do Cruzeiro

O caso Riascos teve mais um capítulo nesta quinta-feira (24). Segundo o Cruzeiro, o clube, através de seu advogado Fabiano de Oliveira Costa, conseguiu caçar o habeas corpus e o mandado de segurança que havia sido concedido ao colombiano para que o mesmo pudesse exercer o direito de trabalhar. No caso, se transferir para outra equipe.

Com a decisão de hoje concedida pela Justiça, Riascos está impossibilitado de se transferir para qualquer outro clube, seja ele do Brasil ou do exterior. Segundo informações da assessoria do clube celeste, o mérito da ação será julgado apenas em 2017.

LEIA MAIS:

Cruzeiro está preparado para enfrentar pressão e clima tenso em Porto Alegre

Barca Celeste: veja os jogadores que não ficarão em 2017

“Foi uma grande vitória do clube em relação a quebra de um contrato que está sendo pleiteada. Isso demonstra que o poder judiciário está muito atento às incorreções e a nova aplicação da lei ao abuso do direito postular de atleta não respeitar o contrato”, comentou o advogado do clube, Fabiano de Oliveira Costa ao site oficial do Cruzeiro.

Riascos foi afastado da equipe celeste no dia 17 de julho, após derrota da Raposa para o Fluminense, no Rio de Janeiro, em jogo válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O afastamento aconteceu depois do colombiano ter feito declarações ofensivas ao Cruzeiro, que resultou em uma enorme polêmica.

Desde então, o atleta alegou que estava se sentindo ameaçado em Belo Horizonte e retornou a Colômbia sem dar maiores esclarecimentos à cúpula celeste. Desde então, ambas as partes estão travando uma batalha judicial.

“Diante de todos os acontecimentos, nós tivemos acesso ao áudio no final da partida, que foi uma declaração e um posicionamento infeliz e extremamente inaceitável por parte do nosso atleta Riascos, ofendendo a instituição, ofendendo a sua história. Não é esse tipo de conduta que a gente espera de atletas profissionais de futebol que tem as condições de trabalho que o Cruzeiro oferece. Um Clube que cumpre com todos os compromissos, que fez um grande investimento na contratação deste atleta, veio para o Clube e não teve as oportunidades que imaginava no ano passado, foi cedido e viveu um bom momento. Enfim, diante dessa postura do Riascos, nós não aceitamos de forma alguma a participação de atletas com essa conduta e com esse posicionamento, e a partir de agora ele está fora da delegação do Cruzeiro e passa a ser um problema administrativo e jurídico”, disse em nota Thiago Scuro , diretor de futebol do Cruzeiro à época em que o incidente aconteceu no Rio de Janeiro.



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.