Conheça Maurício Galiotte, novo presidente do Palmeiras

Paulo Nobre
Foto: Cesar Greco/ Ag.Palmeiras

Maurício Galiotte foi eleito para ser o próximo presidente do Palmeiras pelos próximos dois anos, a partir do dia 15 de dezembro. O novo mandatário, que concorria em chapa única, recebeu 1639 votos dos 1733 sócios que participaram das eleições – 94 votaram em branco. Galiotte ocupará o cargo deixado por Paulo Nobre.

Maurício concorreu ao pleito acompanhado de seus vices Genaro Marino Neto, Antonino Jesse Ribeiro, Victor Fruges e José Carlos Tomaselli. De forma igual a 2014, as chapas eram fechadas, portanto, os vices não concorreram de forma independente.

Mas quem é e qual o perfil do novo presidente do Palmeiras?

LEIA MAIS:
Reforços e direitos de TV: listamos as pendências que o próximo presidente do Palmeiras terá para resolver

Bisneto de italianos por parte de pai e de mãe, Maurício Galiotte nasceu em São Paulo-SP, no dia 11/02/1969.  É formado em Administração de Empresas pela PUC-SP e pós-graduado em Marketing pela FAAP-SP, é casado e pai de três filhos. Além do trabalho que exerce no Palmeiras, Galiotte é dono de uma fábrica de chave e fechaduras localizada em Barueri, cidade de grande São Paulo.

Galiotte se tornou sócio do Palmeiras em 1978, e iniciou sua trajetória no clube como atleta entre 1979 e 1987, quando defendeu o Alviverde nas categorias de base tanto no futebol de campo como no futsal.

Em 2001, foi eleito como suplente para o Conselho Deliberativo. Em 2004, ainda na gestão Mustafá Contursi, foi eleito como conselheiro efetivo pela primeira vez. Entre 2007 e 2008 trabalhou como diretor de Esportes Amadores da gestão Affonso Della Monica. Já entre 2009 e 2010, foi diretor social na gestão de Luiz Gonzaga Belluzzo. E por fim, desde 2013 ocupa a primeira vice-presidência na diretoria encabeçada por Paulo Nobre.

PONTOS POSITIVOS:

Apesar de ser aliado de Paulo Nobre, que tem problemas com a turma da oposição, a escolha de Maurício Galiotte para assumir a presidência do clube teve “rejeição zero”,  já que o empresário de 47 anos tem perfil conciliador. Além disso, tem bom relacionamento com opositores ferrenhos, como o ex-cartola Wlademir Pescarmona e o ex-presidente Mustafá Contursi.

Além disso, foi Galiotte que ajudou o resolver a crise entre Palmeiras e Crefisa após o título da Copa do Brasil em 2015 e também foi fundamental em negociações com a WTorre. As duas parceiras do Verdão tiveram muitos problemas com Paulo Nobre nos últimos anos.

Outro aspecto que agrada, principalmente os torcedores, é que o próximo mandatário é mais aberto ao torcedor, que conta com o bom senso para que a Rua Palestra Itália seja liberada novamente para a torcida em dias de jogos no Allianz Parque.