Confira quem não embarcou no voo para a Colombia

A tragédia com o avião da Chapecoense chocou a todos, imprensa, brasil,colombia, e o mundo inteiro. Chocou também quem ficou de fora e não embarcou no voo em direção a Medelim, na Colômbia.

Entre mortos e sobreviventes da tragédia, fica a dor e o pesar de familiares, amigos, torcedores, enfim de todos nós. Mas há o grupo de pessoas que não embarcou no voo da última madrugada, sejam jogadores ou convidados para prestigiar o clube no jogo pela final da Copa Sul Americana contra o Atlético de Medelim.

LEIA MAIS:

Entre os jogadores da chapecoense estão Neném, Demerson, Marcelo Boeck, Andrei, Hyoran, Martinuccio, Nivaldo e Rafael Lima.

Além disso Luciano Buligon, prefeito de Chapecó, havia sido convidado pelo clube para viajar com o time e não embarcou no voo.

Rodrigo Ernesto e Pablo Castro, que faziam parte da logística do time embarcaram num voo anterior para estar presente na recepção do time ao chegar na Colômbia

O voo partiu de Guarulhos em direção a Bolívia, pois a Agência Nacional de Aviação Civil vetou um voo direto para Medelim.Em nota A Anac declarou que a decisão de negar o pedido do voo direto foi tomada baseada em regras do Código Brasileiro de Aeronáutica e na Convenção de Chicago.

O avião saiu do radar de depois disso sofreu um acidente em Cerro Gordo, uma região serrana já próxima ao destino final.

“A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informa que a empresa boliviana Lamia Corporation solicitou autorização de voo à ANAC para o transporte do time de futebol Chapecoense que faria um torneio na Colômbia. O voo partiria do Brasil para a Colômbia, na segunda-feira, 29/11, segundo a solicitação. O pedido foi negado com base no Código Brasileiro de Aeronáutica (CBAer) e na Convenção de Chicago, que trata dos acordos de serviços aéreos entre os países. O acordo com a Bolívia, país originário da companhia aérea Lamia, não prevê operações como a solicitada.

Complementando a negativa do pedido, a ANAC informou ao solicitante do voo que o transporte poderia ser realizado por empresa aérea brasileira e/ou colombiana, conforme a escolha do contratante do serviço, nos termos dos acordos internacionais em vigor.

A ANAC se solidariza com os familiares das vítimas do acidente ocorrido nesta madrugada, 29/11, com o time da Chapecoense, nas proximidades de Medellín, na Colômbia.”
Nota da Anac em relação ao acidente