Bastidores do UFC SP: público ‘frio’, estandes movimentados, famosos e até ‘Momento Impostor’

Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com
* Direto do Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo-SP

O UFC Fight Night de número 100 teve como sede São Paulo, a maior metrópole do Brasil. Nada mais justo presentear os fãs brasileiros, que são o segundo maior público consumidor do principal evento de MMA no mundo. O sábado (19) no Ginásio do Ibirapuera foi longo, das 21h às 3h30 de domingo (20), com 12 lutas programadas.

VEJA MAIS
RYAN BADER DERROTA MINOTOURO E ESTRAGA FESTA BRASILEIRA NO UFC SÃO PAULO
THOMAS ALMEIDA CONSEGUE GRANDE NOCAUTE E SE RECUPERA NO UFC
CLÁUDIA GADELHA DERROTA CORTNEY CASEY E SE REABLITA NO UFC

Porém, a galera não se engajou tanto nos combates como se esperava. Para começar, o Ibira não chegou em sua lotação máxima. Cerca de 80% dos espaços estavam preenchidos de torcedores (no card principal): 9.028 pessoas, segundo números oficiais. Dois motivos explicam isso: os preços, que estavam “salgados” (o mais barato custava R$ 210), além do card pouco atraente. Não houve duelos tão aguardados e/ou comentados para atrair público. “Sabia que o Minotouro não ganharia, o outro (Ryan Bader) é bem melhor”, disse uma torcedora. Mesmo assim, 80% é para se comemorar pelos organizadores.

Torcida compareceu em bom número ao UFC SP, mas não lotou o local - Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com
Torcida compareceu em bom número ao UFC SP, mas não lotou o local – Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com

Diferentemente do que aconteceu na pesagem da sexta-feira (18), a torcida não jogou aquela pressão para cima dos estrangeiros, tampouco apoiou assiduamente os brasileiros. Tirando manifestações isoladas, como na finalização de Cézar Mutante para cima de Jack Hermansson, no nocaute de Thomas Almeida sobre Albert Morales e no apoio à Cláudia Gadelha contra Cortney Casey, o público não se empolgou tanto. Aliás, deixou aos poucos o octógono ainda durante o confronto principal da noite, em que Rogério Minotouro foi nocauteado por Ryan Bader.

O “uh, vai morrer” para os rivais praticamente não foi ouvido, apenas de forma pontual e em alguns momentos. O “caldeirão”, de fato, não se confirmou.

Estandes “fervendo” e famosos

Se dentro do ginásio tava “frio”, fora dele o povo estava mais interativo. Os estandes oficiais do UFC (Ultimate Fighting Championship) formavam filas consideráveis e atraiam mais que as próprias lutas, principalmente do card preliminar. A lojinha oficial do Ultimate sempre esteve movimentada. Todo mundo queria alguma “lembrancinha” do evento. Um estande para o torcedor colocar a bandagem que os atletas usam e um para o fã tirar foto com o cinturão da organização eram os mais procurados.

Voltando para os entornos do octógono, diversos famosos compareceram ao Ibirapuera para prestigiar os lutadores brasileiros. Até quem não tem cara de curtir MMA deu as caras por lá. O que dizer do homem da praça Carlos Alberto de Nóbrega, que demonstrou empolgação ao chegar no local? Tirou diversas fotos com os fãs. Já outros sempre tiveram relação boa com as artes marciais, como o ator Alexandre Frota, o “masterchef” Henrique Fogaça, o jornalista Guga Noblat e o humorista Ceará, ex-Pânico, acompanhado pela mulher Mirella Santos. Todos eles foram vistos por lá e sempre bem solícitos aos fãs.

“Momento Impostor” no Torcedores.com

Johnny Eduardo comemora vitória no card preliminar - Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com
Johnny Eduardo comemora vitória no card preliminar – Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com

Por falar em “Pânico”, todos se lembram do quadro “O Impostor”, com Daniel Zukerman, né. Pois este repórter que vos escreve teve um “Momento Impostor” no Ginásio do Ibira. Mesmo credenciado para o evento, um jornalista não tem acesso a todos os setores do local. Um deles era próximo ao octógono, onde as celebridades e pessoas oficiais do UFC transitavam. E não é que consegui entrar nessa área com uma facilidade incrível? E sem querer!

Por não saber onde eu poderia transitar ou não, pedi ao segurança se imprensa podia entrar na área exclusiva. Se não pudesse, tudo bem, seguiria andando para achar mais histórias para a matéria. O rapaz olhou minha credencial, checou na ficha de credenciais que podiam ser liberadas naquele espaço e disse que eu podia entrar, e entrei. Por que não entrar? Por alguns minutos vi o octógono bem próximo e vi a vitória de Johnny Eduardo sobre Manny Gamburyan. Inclusive a foto da comemoração de Johnny ajuda a ilustrar esta reportagem, para verem como era bem perto mesmo.

Neste momento, Carlos Alberto de Nóbrega chegava escoltado por alguns rapazes e foi rapidamente para as cadeiras em frente ao octógono. Muito simpático, parou para atender alguns torcedores e tirou fotos. Nessa hora, me aproximei e fiz uma para enviar ao plantonista da redação. Foi aí que algum segurança estrangeiro avisou a outro brasileiro de que eu não podia ficar ali. Gentilmente, esse outro monitor do UFC me explicou que minha credencial não me liberava para estar nesse local e me dirigiu à parte externa, com bastante educação.

Carlos Alberto de Nóbrega é fã de MMA - Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com
Carlos Alberto de Nóbrega é fã de MMA – Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com

Sem crise. Respeitei a decisão e disse ao monitor que foi justamente um segurança externo que havia me liberado a passagem, então pensei que podia ficar ali sem problemas. “Não sei como eles te liberaram”, falou a mim, visivelmente surpreso com a falha dos agentes. Nisso, o rapaz pediu para que os seguranças de fora ficassem mais atentos na checagem das credenciais. Segui normalmente e voltei para a sala de entrevistas coletivas do UFC, que ficava na parte superior do ginásio.

Pela pauta, o “Momento Impostor” valeu a pena e a história para ser contada aqui no Torcedores.com.

Pós-evento e coletiva dos vencedores

Depois do UFC SP, os lutadores concedem entrevista coletiva na sala de imprensa, que, aliás, é bem estruturada. Atende tudo a que um jornalista precisa, com conexão para internet, tomadas para a conexão de equipamentos, água para os repórteres em uma garrafinha estilizada do Ultimate e TVs que transmitiam ao evento (com sinal da FOX Sports dos Estados Unidos).

Apenas os vencedores da noite comparecem ao espaço para falar com a imprensa. Ou seja, Rogério Minotouro não apareceu, por exemplo. Havia alguns comentários de que ele anunciaria a aposentaria após a derrota para Ryan Bader, algo que não se confirmou. Ao Canal Combate, o veterano de 40 anos garantiu que ainda não deixará o octógono.

Joe Carr, vice-executivo internacional do UFC, foi quem comandou a coletiva, que contou com Ryan Bader, Thomas Almeida, Cláudia Gadelha, Krzysztof Jotko, Kamaru Usman, Serginho Moraes e Cézar Mutante. Nela, algumas declarações relevantes, como os pedidos de Gadelha, que quer enfrentar Carla Esparza, primeira campeã do peso galo, e Usman, que deseja desafiar Demian Maia; e as reclamações de Serginho sobre o resultado de sua luta. Ele queria ter vencido por unanimidade e não por decisão dividida.

Lutadores atendem imprensa após UFC SP - Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com
Lutadores atendem imprensa após UFC SP – Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com

Enquanto eles davam entrevista aos repórteres, tudo era desmontado na velocidade da luz. Era 5h da manhã e o octógono já estava em boa parte desmontado no Ginásio do Ibirapuera (assista no vídeo abaixo).

Era o fim de um dia mágico. Hora de ir para casa, o sol está raiando no céu.

Veja todos os resultados do UFC SP (UFC Fight Night 100):

CARD PRINCIPAL

Ryan Bader venceu Rogério Minotouro por nocaute técnico (3m51s do terceiro round)
Thomas Almeida venceu Albert Morales por nocaute técnico (1m37s do segundo round)
Cláudia Gadelha venceu Cortney Casey por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 30-27)
Krzysztof Jotko venceu Thales Leites por decisão unânime dos juízes (29-27, 30-27, 30-27)
Kamaru Usman venceu Warlley Alves por decisão unânime dos juízes (29-27, 30-26, 29-28)
Serginho Moraes venceu Zak Ottow por decisão dividida dos juízes (30-27, 28-29, 29-28)

CARD PRELIMINAR

Cézar Mutante venceu Jack Hermansson por finalização (2m11s do segundo round)
Gadzhimurad Antigulov venceu Marcos Pezão por finalização (1m07s do primeiro round)
Johnny Eduardo venceu Manny Gamburyan por nocaute técnico (46s do segundo round)
Luis Henrique KLB venceu Christian Colombo por finalização (2m12s do terceiro round)
Pedro Munhoz venceu Justin Scoggins por finalização (1m55s do segundo round)
Darren Stewart venceu Francimar Bodão por nocaute técnico (1m34s do primeiro round)

VEM AÍ O PRÊMIO TORCEDORES.COM DE JORNALISMO COLABORATIVO
Prêmio Torcedores.com terá sua 2ª edição em 2016
Conheça os finalistas do prêmio Torcedores.com de mídia esportiva 2016



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.