Atletas desempregados terão CT construído por Sindicato (SAFERJ)

Em festa realizada na sua sede, pelos 37 anos de criação, O Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Saferj) apresentou o projeto de construção de CT para os atletas desempregados. A ideia é construir um equipamento com 25 mil m2 em Guaratiba, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. 

Na noite desta segunda-feira, o SAFERJ recebeu em sua sede, atletas e políticos para comemorar os 37 anos de atuação da instituição em favor dos direitos trabalhistas dos atletas do Estado do Rio de Janeiro. Na ocasião foi apresentado a comunidade esportiva o projeto de construção do CT para os atletas sem clubes. O projeto prevê a construção de: dois campos oficiais gramado nas dimensões de 100 m x 70 m; um campo de apoio gramado nas dimensões 50 m x 35 m; um mini campo para treinamento de goleiro com 16 m x 40 m; dois vestiários com rouparia com 50 m2 cada um; um espaço administrativo com 40 m2 e uma área externa para estacionamento com 300 m2.

A finalidade deste projeto é promover atividades físicas para os atletas que estiverem sem contrato. A maior parte desses atletas são oriundos de times de pouco investimentos, com média salarial de três salários por mês. A SAFERJ estima que este grupo de atleta represente aproximadamente 70% do mercado. 

Ao utilizar os equipamentos do CT, o atleta vai fazer a manutenção do seu treinamento, com ajuda de profissionais qualificados, ampliando não apenas o seu desempenho, como prolongando o seu tempo como profissional do esporte. Em média um atleta tem 15 anos de vida ativa em esportes de alta performance.

Outro fator importante ligado a construção deste equipamento esta relacionado a absorção de ex-atletas como mão-de-obra qualificada para os setores administrativos, comissão técnica, auxiliares e preparador físico. Esta medida visa dar oportunidades aos craques do passado que por ventura estejam desempregados.

Além de beneficiar os profissionais ligados ao esporte, em especial ao futebol, o CT também tem como foco a comunidade a qual esta inserida, ou seja, a estrutura e os profissionais podem desenvolver ações positivas junto as crianças e os adolescentes através de escolinhas de futebol e montagem de equipes de bases.