Argentina vence a Colômbia e termina a rodada na quinta colocação

Crédito da foto: Divulgação/AFA

Depois da derrota acachapante para a Seleção Brasileira na última quinta-feira ( 10 de novembro ), a Seleção Argentina enfrentou na noite dessa terça-feira ( 15 de novembro ) a Seleção Colombiana e saiu de campo com uma vitória convincente e na quinta colocação das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

LEIA MAIS:
PRÊMIO TORCEDORES.COM DE JORNALISMO COLABORATIVO
Prêmio Torcedores.com terá sua 2ª edição em 2016
Conheça os finalistas do prêmio Torcedores.com de mídia esportiva 2016

Jogando na cidade San Juan Del Bicentenário, na Argentina, os donos da casa iniciaram a partida buscando o único resultado que interessava. A vitória.

O técnico da Argentina, Edgardo Bauza, fez três mudanças na equipe. Saíram o veterano Zabaleta, Pérez e Higuín. A Seleção Argentina entrou em campo com a seguinte formação: Romero; Mercado ( substituto de Zabaleta ), Otamendi, Funes Mori e Mas; Mascherano, Biglia, Banega ( substituto de Pérez ); Messi, Di María e Lucas Pratto ( substituto de Higuín ).

A Seleção Argentina iniciou a partida mostrando mais organização tática, tranquilidade, trocando passes com objetividade, movimentação, velocidade, linhas avançadas e aproximadas, girando a bola e aproveitando as subidas dos laterais e buscando o gol.

Com as linhas avançadas e a movimentação dos jogadores de criação, a Seleção Argentina aproveitou a fragilidade do setor defensivo da Seleção Colombiana. Mascherano com muita liberdade para sair jogando, Biglia mais adiantado, Banega pelo meio, Di María pela esquerda, Messi pela direita e circulando pelo meio e Lucas Pratto como centroavante e jogando dentro da área dos colombianos. O setor defensivo da Seleção Argentina, principalmente a linha de zagueiros, ainda continua com muitas dificuldades para marcar e qualquer bola alçada na área ou de velocidade é perigo de gol.

O primeiro gol da Argentina foi marcado por Messi aos 10 do 1º tempo cobrando falta no ângulo do goleiro Ospina. O segundo gol foi marcado por Lucas Pratto de cabeça aos 22 do 1º tempo depois de uma belíssima assistência de Messi. O terceiro gol foi marcado por Di María aos 39 do 2º tempo depois de uma jogada fantástica de Messi e mais uma assistência.

Depois que a Seleção Argentina fez o segundo gol passou a jogar de forma mais cautelosa, lenta, tocando muito a bola e querendo o final do primeiro tempo. O primeiro tempo terminou com a Seleção Argentina controlando a partida e a Seleção Colombiana perdida em campo.

Na volta para o segundo tempo, a Seleção Argentina continuou jogando do mesmo jeito que terminou o primeiro tempo. Sem pressa e com a marcação aproximada e dobrada, a Seleção Argentina esperava a Seleção Colombiana no seu próprio campo para explorar o contra-ataque com velocidade.

Antes de definir a partida, a Seleção Argentina começou a ser pressionada e sentiu o ritmo forte do início da partida. O técnico Edgardo Bauza fez três substituições. O meia Banega saiu e entrou o volante Enzo Pérez aos 17 do 2º tempo. O atacante Lucas Pratto saiu e entrou o também atacante Higuín aos 34 do 2º tempo. O meia-atacante Di María saiu e entrou o atacante Correa. A substituição de Di María já estava programada, mas, antes da bola sair de campo, o jogador fez o terceiro gol da Seleção Argentina.

A Seleção Colombiana entrou em campo desfalcada dos zagueiros Mina e Murillo, e com Balanta improvisado na lateral esquerda. O técnico da Seleção Colombiana, José Pekerman, escalou a sua equipe com Ospina; Arias, Davinson Sánchez, Murillo e Balanta; Carlos Sánches, Torres, Barrios, Cuadrado e James Rodriguez; Falcao García.

Com o sistema defensivo desorganizado e apavorado, a Seleção Colombiana não conseguia sair jogando com os laterais e pelos lados do campo, com as linhas recuadas e empurradas pela Seleção Argentina não conseguia sair jogando pelo meio, a marcação frouxa permitia que os argentinos jogassem com muita liberdade, não trocava passes, os jogadores mais jovens sentindo o peso de enfrentar a Seleção Argentina e os jogadores mais cascudos sem inspiração e reféns da marcação dos argentinos.

A intensão de congestionar o meio-campo e bloquear as jogadas pelos lados não deu certo. Carlos Sánchez pelo meio, Barrios pela esquerda, Torres pela direita, James Rodriguez pelo meio, Cuadrado pela direita, Falcao García isolado e saindo da área porque a bola não chegava. Os jogadores Cuadrado, James Rodriguez e Falcao García, além de jogarem mal, não se apresentavam pro jogo e guardavam o posicionamento. Previsível e sem movimentação, ficava fácil para os argentinos marcar.

No intervalo do primeiro para o segundo tempo, o técnico José Pekerman substituiu o volante Barrios pelo meia Macnelly Torres. A Seleção Colombiana passou a jogar com dois volantes e três meias. Com as linhas mais adiantadas e com mais um jogador de criação, a Seleção Colombiana passou a incomodar e aumentou o volume de jogo.

O técnico José Pekerman substituiu o volante Torres pelo atacante Copete aos 21 do 2º tempo e substituiu o atacante Falcao García pelo também atacante Bacca aos 31 do 20 tempo.  O técnico partiu pra cima e passou a jogar com um volante, três meias e dois atacantes. A tentativa de pressionar e empatar a partida ficou comprometida porque faltava organização e os erros de passe e a falta de infiltração continuava. A Seleção Colombiana não teve força para reagir e vai precisar jogar mais bola para conseguir a classificação para a Copa do Mundo da Rússia.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos o link da página de Rivaldo Pedregulho e, se for possível, envie comentários, sugestões e críticas.

https://www.facebook.com/rivaldo.pedregulho

@blogdorivaldo

rivaldopedregulho@gmail.com