Alex admite que situação do Palmeiras preocupa Inter na última rodada

Palmeiras
Foto: Ricardo Duarte / Internacional

O Inter já não depende mais das próprias forças para permanecer na primeira divisão em 2017. Com três pontos a menos que o Vitória, faltando duas rodadas para o término do Brasileirão, o clube gaúcho precisará descontar essa diferença nos jogos que ainda tem contra Cruzeiro, em Porto Alegre, e Fluminense, no Rio de Janeiro. De quebra, precisará de uma ajuda dos rivais dos baianos: Coritiba e Palmeiras.

LEIA MAIS:

Reservas do Grêmio brilham na Arena e torcida manda recado para o Inter

Messi? Cristiano Ronaldo? Conheça o jogador mais rico do mundo

A derrota colorada para o Corinthians por 1×0 nesta segunda, em São Paulo, por exemplo, eliminou qualquer chance de queda do Coritiba, que enfrentará em casa o Vitória na próxima segunda-feira sem mais aspirações na competição. Já o Palmeiras, que precisa de um empate em casa contra a Chapecoense, domingo, para ser campeão, provavelmente já estará “de férias” no jogo final em Salvador.

“Claro que assusta a chance do Palmeiras chegar de férias na última rodada. Poderíamos estar em uma situação bem melhor. Ficamos 14 jogos sem vencer dentro do Campeonato Brasileiro. Isso não existe em um clube grande como o Inter. O grupo de jogadores precisa entender que precisa dar algo mais. É uma vergonha. Melhoramos, mas caímos de novo de produção”, colocou Alex, lamentando ter que depender dos rivais.

Mesmo sem ter entrado na partida contra o Corinthians, o camisa 12 colorado fez questão de ir aos microfones após o jogo exercer sua condição de líder do grupo. Embora ainda não tenha jogado a toalha, Alex reconhece que o momento do Inter é “ridículo e vergonhoso”.

Se chegar vivo na última rodada, o Inter pode se apegar em dois aspectos históricos para crer em uma vitória do Palmeiras. Em 2002, o primeiro rebaixamento da história do alviverde veio justamente por conta de uma derrota por 4×3 diante do Vitória, em Salvador. Além disso, em 2007, o Inter esteve diretamente envolvido na queda do Corinthians, o que fez a alegria dos palmeirenses.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.