3 lições que Corinthians tirou do jogo contra o Figueirense

Corinthians
Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Na última quarta-feira (16), Corinthians apenas empatou, fora de casa, contra o Figueirense. Resultado deixou a equipe fora do G-6.

LEIA MAIS:
Veja porque o Corinthians é o favorito na briga pela vaga na Libertadores

Após o empate do Atlético-PR, sexto colocado na competição, o Timão entrou em campo na 35ª a uma vitória de voltar ao G-6, já que com os três pontos, chegaria a 53 no campeonato e ultrapassaria o Furacão na tabela.

O alvinegro paulista abriu o placar ainda no primeiro tempo em uma bela jogada de Camacho, porém, deixou o time da casa empatar nos minutos finais, em uma bola levantada na área.

Torcedores.com traz três lições que o Timão pode tirar da partida para levar para seus próximos jogos na competição:

Trabalhar mais as jogadas individuais: contra o Figueirense, o Corinthians conseguiu trabalhar a bola no meio-campo e fazer essa transição da bola da defesa para o ataque. No entanto, faltaram jogadas individuais para quebrar a marcação do adversário e criar mais oportunidades de gols. Os jogadores que possuem essa função, como Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto, preferiram tocar a bola, mostrando falta de confiança. As melhores chances do Timão no jogo, inclusive o gol, saíram justamente de jogadas individuais.

Matar o jogo nas oportunidades que surgirem: ganhando a partida por 1 a 0, o Corinthians teve oportunidade de ampliar o placar algumas vezes na segunda etapa, mas não conseguiu. Teve bola na trave, defesa do goleiro, chute para fora, que se entram, praticamente garantia os três pontos. Até mesmo após o empate do Figueirense, Camacho teve a bola nos pés para fazer o segundo do Timão e desperdiçou chutando por cima do gol.

Ter mais cuidado no setor defensivo: o gol sofrido ontem foi puramente falta de atenção da zaga. A bola foi lançada para a grande área do meio-campo, e o centroavante adversário conseguiu subir mais alto e marcar. Apesar de estar em posição de impedimento, a defesa não pode vacilar dessa forma, principalmente nos minutos finais.