1994 voltou? Veja 10 fatos que alegrarão torcedores de Palmeiras e Grêmio

Palmeiras
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

A reta final da temporada do futebol brasileiro está apresentando traços bastante semelhantes com o desfecho do ano de 1994. Caso continue nesse ritmo, os torcedores de Palmeiras e Grêmio já podem começar a sorrir. Assim como ocorreu há 22 anos, palmeirenses e gremistas saborearam dois importantes títulos que voltam a pleitear na temporada de 2016.

LEIA MAIS:

Reservas do Grêmio brilham na Arena e torcida manda recado para o Inter

Messi? Cristiano Ronaldo? Conheça o jogador mais rico do mundo

Foi justamente em 1994 que o Palmeiras comemorou o seu último título brasileiro. O time alviverde se mantém na fila desde então e é o único dos quatro grandes de São Paulo que ainda não foi campeão na era dos pontos corridos. Com a vitória por 1×0 sobre o Botafogo no último domingo, porém, as chances de título aumentaram e colocam o Porco a um empate da conquista. Na próxima rodada, a Chapecoense será a rival no Allianz Parque.

Do lado do Grêmio, a grande missão para o final de 2016 é repetir a conquista que já obteve quatro vezes, sendo uma delas em 1994. Naquela oportunidade, o time gaúcho venceu a Copa do Brasil sobre o Ceará e ficou com bicampeonato do torneio. Agora, o time luta para quebrar o jejum de 15 anos sem título e disputará a final do torneio contra o Atlético-MG. O primeiro jogo da decisão ocorre na próxima quarta-feira, no Mineirão.

Claro que o Palmeiras está bem mais próximo de atingir o seu objetivo do que o Grêmio, mas, para os torcedores mais supersticiosos, tanto os paulistas quanto os gaúchos têm elementos históricos para acreditarem que terminarão o ano com sorrisos estampados nos rostos. Veja uma lista de 10 semelhanças – algumas delas lembradas pelo Fazendo Número – entre 1994 e 2016 que colocam o Palmeiras a um passo do título brasileiro, e o Grêmio da Copa do Brasil.

  • Antes do título brasileiro de 1994, o Palmeiras já havia conquistado a mesma competição em 1993. Em 2015, o Verdão ficou com a Copa do Brasil… Títulos nacionais nos anos anteriores são bons sinais para o time paulista.
  • Em 1994, o vice-campeão brasileiro foi um time paulista, com o Corinthians adquirindo essa condição. Na atual temporada, o Santos é o único time que ainda pode tirar o título do Palmeiras e, por óbvio, o principal postulante ao vice.
  • Ambos os anos foram decisivos para a seleção brasileira. Em 1994, o Brasil bateu a Itália e foi campeão mundial. Em 2016, o time olímpico superou a Alemanha nas Olimpíadas. Dois títulos importantes contra duas seleções da Europa.
  • No setor de ataque, uma coincidência liga o Palmeiras de 1994 com o de 2016. Lá atrás, Rivaldo, com apenas 22 anos, foi o grande nome da conquista nacional palmeirense. Agora, Gabriel Jesus, com apenas 19 anos, parece trilhar o mesmo caminho.
  • O Grêmio, em 1994, teve pela frente o Ceará na decisão da Copa do Brasil. Passados 22 anos, o rival também é um time alvinegro, o Atlético-MG.
  • Assim como em 1994, o Brasil não teve um representante vencedor da Libertadores. Há 22 anos, o Vélez, da Argentina, ficou com a taça. Esse ano o título ficou com o Atlético Nacional, da Colômbia.
  • Para ser campeão da Copa do Brasil de 1994, o Grêmio teve pelo caminho o Corinthians, um dos mais tradicionais times paulistas. Já nesse ano, deixou para trás o próprio Palmeiras, nas quartas de final.
  • Se jogou no Olímpico a final da Copa do Brasil de 1994, o tricolor gaúcho novamente decidirá tudo em Porto Alegre – dessa vez, na Arena – em 2016.
  • Um goiano, em 1994, se destacou na Série B e subiu à primeira divisão no ano seguinte: o Goiás. Depois de 22 anos, quem vive a mesma situação é o Atlético Goianiense.
  • Os dois Palmeiras tiveram mudanças no meio e na lateral-direita com relação ao ano anterior. De 1993 para 1994, Claudio assumiu a vaga de Mazinho na direita e Flavio Conceição o lugar de Daniel Frasson no meio. De 2015 para 2016, Jean entrou na vaga de Lucas e Moisés assumiu o posto de Robinho.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.