Venezuela x Brasil: Notas dos jogadores da Seleção Brasileira

Crédito da Foto: Reprodução/Facebook CBF (Confederação Brasileira de Futebol)

A Seleção Brasileira chegou à liderança das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo 2018 com 21 pontos ao derrotar a Venezuela, em Mérida, pelo placar de 2×0. Os gols foram anotados por Gabriel Jesus e Willian, que foram responsáveis por mais um triunfo do Brasil sob o comando do técnico Tite. Por isso, confira a nota dos jogadores de acordo com a atuação na partida diante dos venezuelanos.

LEIA MAIS:
SUÁREZ MARCA, MAS URUGUAI FICA NO EMPATE COM A COLÔMBIA

Alisson (6.0) – Contra a pior seleção das Eliminatórias, o goleiro brasileiro foi exigido em uma única oportunidade e trabalhou muito bem ao realizar grande intervenção e espalmar para a linha de fundo a cabeçada do atacante venezuelano, garantindo que o Brasil não fosse vazado.

Daniel Alves (6.5) – O ataque venezuelano foi praticamente inoperante, por isso o lateral direito não teve tanto trabalho na parte defensiva. Com isso, Daniel Alves pôde chegar à frente e apoiar o setor ofensivo, sempre aparecendo bem nos passes e em jogadas de linha de fundo.

Miranda (6.5) – Difícil avaliar o desempenho de jogadores defensivos da Seleção Brasileira quando o setor ofensivo dos adversários não oferece tanto perigo, mas Miranda se mostrou bastante seguro, sem comprometimentos e sem correr maiores riscos.

Marquinhos (6.0) – Assim como seu companheiro de zaga, teve atuação bastante equilibrada e segura na defesa. Vale lembrar que a Venezuela é a pior seleção dessas eliminatórias e não ofereceu grandes perigos, principalmente na parte ofensiva.

Filipe Luís (6.5) – Teve liberdade para ajudar os atacantes, a exemplo do que fez no confronto com a Bolívia. Não tem a mesma qualidade que o titular Marcelo, mas é um ótimo reserva. Na parte defensiva, sofreu um pouco com o talentoso meio campista Guerra, porém não teve maiores consequências.

Fernandinho (7.0) – Um dos mais marcados pelo 7×1 na Copa de 2014, Fernandinho teve grande destaque na proteção à defesa e também na recomposição. No Manchester City, Guardiola fez seu futebol ressurgir e o mesmo pode acontecer com Tite na seleção.

Paulinho (5.0) – Segue destoando do restante do elenco. Nesta partida, apareceu mais à frente, quase marcou um gol em chute defendido pelo goleiro, mas sente a falta de competitividade na China. Anda um pouco indisciplinado, são três jogos e três cartões amarelo, com uma suspensão.

Renato Augusto (6.5) – Excelente passador e cadenciador de jogadas no meio de campo. É um meio campista que atua também como volante, foi o responsável por dar a assistência para o gol de Willian, em jogada realizada pelo lado esquerdo do campo.

Willian (7.0) – Mesmo passando por problemas familiares, Willian teve atuação melhor que nas outras partidas, sempre se apresentando pelo lado do campo e tendo oportunismo ao completar para as redes o cruzamento de Renato Augusto no segundo gol do Brasil.
Giuliano (6.0) – Deu qualidade ao passe, mas entrou em momento do jogo que o resultado já estava decidido.

Philippe Coutinho (6.0) – Não foi brilhante como em outras partidas, porém a sua entrada se fez mais do que necessária. É evidente e gritante que dá maior qualidade ao meio de campo do Brasil, com toques envolventes, transição rápida entre meio e ataque, além de boa sintonia com o setor ofensivo.

Gabriel Jesus (8.0) – Teve oportunismo para interceptar o passe do goleiro Hernandez e muita frieza para, cara a cara, dar um toque de classe, encobrindo o arqueiro. Além disso, é diferenciado, tem qualidade com a bola nos pés e tem tudo para chegar “voando” em 2018.
Taison (sem nota) – Jogou pouco tempo

Tite (7.5) – São quatro jogos à frente do Brasil e quatro vitórias. Mudança no padrão tático e emocional dos jogadores, trazendo de volta o bom futebol praticado pela seleção. A Venezuela não é muito parâmetro, mas Tite montou o time para não correr riscos e administrar, exatamente o que houve.