Três razões que explicam os 25 anos sem títulos do Brasil na Fórmula 1

Crédito da foto: Reprodução/TV

Há 25 anos, Ayrton Senna dava o último título mundial para o Brasil na Fórmula 1. Desde então alguns brasileiros desfilaram seus carros na categoria, porém, não obtiveram o mesmo sucesso que Senna, considerado um dos maiores pilotos da história do automobilismo.

VEJA MAIS
25 ANOS DO TRICAMPEONATO DE SENNA: 10 COISAS QUE BOMBAVAM EM 1991
SÃO PAULO RECEBE EXPOSIÇÃO A CÉU ABERTO EM HOMENAGEM A AYRTON SENNA

Desde então, o país vive um jejum de duas décadas e meia sem conquistas no Mundial de Pilotos. Três razões endossam isso e o Torcedores.com ajuda a explicar. Confira:

1) Falta de apoio das equipes com os brasileiros

O Brasil teve, sim, bons pilotos, como Rubens Barrichello, que competiu na Ferrari entre 2000 e 2005, só que quem estava ao seu lado no time era simplesmente Michael Schumacher, heptacampeão de F1. As atenções da escuderia ficavam do lado do alemão em relação a estratégias.

Exemplo claro disso foi a polêmica ultrapassagem de Schumi na linha de chegada no GP da Áustria de 2002, no famoso “hoje não, hoje não, hoje sim” de Cléber Machado na TV Globo.

2) Falta de sorte de campeão

Em 2008, Felipe Massa, da Ferrari, esteve com a mão na taça do Mundial de Pilotos por algumas voltas no Grande Prêmio do Brasil. Ele precisava ganhar a corrida, enquanto Lewis Hamilton, da McLaren, ficar abaixo de quinto lugar.

Em uma corrida marcada pela chuva, o inglês despencou na classificação e teve de fazer uma recuperação. Massa fez sua parte e ganhou. Bastava torcer para o rival não chegasse acima de quinto colocado. Porém, na última curva do GP, conseguiu ultrapassar Tomo Glock, da Toyota, e terminou com o título daquele ano, um pontinho à frente do brasileiro.

Depois, Felipe Massa nunca mais conseguiu ficar tão próximo de uma conquista mundial na Fórmula 1.

3) Falta de talentos a nível Senna

Ayrton Senna era único. Seu talento era impressionante e não à toa é considerado um dos maiores da história. Porém, depois dele, não houve nenhum que conseguisse superar esse “talento único”. A safra posterior teve, sim, bons pilotos, mas bem distantes de Senna e que não chegaram sequer próximos aos seus feitos. Investimento em automobilismo? Falta apoio financeiro aos jovens valores? Apoio da Confederação Brasileira de Automobilismo? Talento individual? Talvez um pouco de cada coisa ajuda a explicar esse insucesso brasileiro.na Fórmula 1 que tem tudo para durar um bom tempo ainda.



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.