Após eliminação, presidente do Santos é pressionado a demitir Dorival

Reprodução/Flickr Santos Futebol Clube - Pedro Ernesto Guerra Azevedo

Após a vexatória eliminação para o Internacional recheado de reservas ainda nas quartas de final da Copa do Brasil, o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, viu a pressão pela demissão do técnico Dorival Júnior aumentar, segundo informações do jornalista Jorge Nicola, da Bradesco Esportes FM e também dos canais ESPN

LEIA MAIS:
APÓS ELIMINAÇÃO, MODESTO ROMA FARÁ COBRANÇAS A TIME DO SANTOS

Mesmo sofrendo a pressão por parte de alguns conselheiros do Santos, que recentemente tentaram provocar a saída de Dorival para colocar Vanderlei Luxemburgo no lugar, o presidente santista garantiu a permanência do técnico, o qual possui contrato com o clube da Baixada até o final de 2017.

Nesta quinta-feira (20), Modesto Roma Júnior viajou para Porto Alegre com o objetivo de conversar com os jogadores e a comissão técnica e fazer cobranças a respeito da derrota por 2×0 para o Internacional, que culminou na eliminação da Copa do Brasil. A atuação do alvinegro foi irreconhecível e o time teve atuação bastante apática.

Sem disputar mais a Copa do Brasil, o Santos volta agora suas atenções para o Campeonato Brasileiro, onde luta para ficar entre os três primeiros colocados que ganham vaga de maneira direta à próxima edição da Copa Libertadores da América. O alvinegro está com 55 pontos na quarta colocação, dois atrás do Atlético-MG, terceiro colocado.

O próximo compromisso do Santos será no domingo (23), pelo Campeonato Brasileiro, onde enfrenta a Chapecoense, na Arena Condá, às 19h30 (Horário brasileiro de Verão). Para o duelo, o técnico Dorival Júnior, provavelmente, ainda não contará com o meio campista Vitor Bueno com lesão muscular, mas terá a volta de Jean Mota, que não atuou contra o Colorado por já ter jogado a Copa do Brasil pelo Fortaleza.