Palmeiras tem multa por confusão contra Flamengo reduzida pelo STJD

Palmeiras
Crédito de imagem: César Greco / Ag. Palmeiras

Nesta quinta-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) informou que a multa aplicada ao Palmeiras pelos objetos arremessados por torcedores contra dirigentes do Flamengo, em partida realizada no último dia 14 de setembro, no Allianz Parque, foi reduzida. A pena passou de R$ 50 mil para R$ 20 mil.

LEIA TAMBÉM:
Mercado da bola: Palmeiras tem contrato acertado com jogador “reprovado” na base dos rivais

Você viu? Palmeiras e WTorre tiveram novas “rusgas”, agora em jogo contra o Grêmio
Mercado da bola: Palmeiras e Flamengo disputam a contratação de Bernard para 2017
Mercado da bola: Palmeiras demonstra interesse em Juninho, zagueiro do Coritiba

O Verdão foi denunciado pela Procuradoria do Tribunal após a divulgação de imagens de torcedores atirando objetos em direção ao camarote onde se encontrava a diretoria flamenguista durante o jogo, que terminou 1 a 1 pelo Campeonato Brasileiro.

Ainda de acordo com o STJD, “houve início de tentativa de invasão do setor reservado, acompanhado de atos de intimidação, principalmente por parte de membros de torcida organizada do clube paulista”.

Em primeira instância, o Palmeiras foi multado por R$ 50 mil devido à desordem causada pela sua torcida. O departamento jurídico do clube entrou com recurso pedindo a absolvição, mas só conseguiu reduzir o valor da sanção.

Líder do Brasileirão, o Verdão vem tendo problemas com os tribunais devido ao comportamento dos seus torcedores. O clube sofreu punição no início de setembro também devido a uma confusão em jogo também contra o Flamengo, mas em Brasília pelo primeiro turno, e está atuando com a capacidade de seu estádio reduzida em partidas do torneio.

O Palmeiras lidera o Brasileirão com sete pontos de vantagem sobre o Flamengo, que tem um jogo a menos após o STJD suspender o resultado da vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense até julgar se houve interferência externa na partida.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.