OPINIÃO: Corinthians foi eliminado da Copa do Brasil por sua defesa

Divulgação/Facebook Oficial do Corinthians

Os primeiros minutos de CorinthiansXCruzeiro no Mineirão foram de um massacre celeste. Com a marcação cruzeirense alta, o Corinthians não respirava em campo. Resultado? 1 a 0 Cruzeiro, com Abila. Depois de tomar o gol, o alvinegro se assentou no jogo. Quer dizer.. menos a sua defesa.

Se o meio – campo corintiano conseguia sair com mais tranquilidade para o jogo, sua defesa mostrava para a Fiel, que a noite seria de apuros. O bom toque de bola levou Rodriguinho a subir de cabeça, bem colocado e empatar o jogo em 1 a 1. Passados alguns instantes, Guilherme, o falso 9, teve, talvez, a chance da partida: sozinho, ele e o goleiro, mas, a canela do camisa 10 do Corinthians impediu o segundo gol.

E imediatamente o zagueiro Pedro Henrique faz um pênalti infantil para Abila converter em 2 a1, Cruzeiro. No terceiro gol cruzeirense Bruno Rodrigo subiu sozinho de cabeça. Ou seja, O time corintiano não tinha nem zaga, nem pai, nem mãe. Chamem o Gil!

E para fechar a ‘atuação’ da defesa do Corinthians, o quarto gol do Cruzeiro nasceu de um lance, muito bem ensaiado, diga-se de passagem (parece o Neto falando), contudo os defensores ficaram pensando na morte da bezerra.

É Oswaldo, tem que tapar essa peneira, ai.

LEIA MAIS:  DIRETOR FINANCEIRO DO CORINTHIANS MOSTRA PREOCUPAÇÃO COM ARENA