Jogadores da NFL viajam ao Haiti para ajudar vítimas do Furacão Matthew

Divulgação/Twitter Oficial do Washington Redskins

O WR Pierre Garçon e o DT Ricky Jean-François, ambos com descendências haitianas e atletas do Washington Redskins, estiveram nesta segunda-feira na capital do país, Port Au Prince, visitando e entregando mantimentos para parte da população atingida pelo Furacão Matthew. Segundo dados da agência Reuters, mais de 1000 pessoas morreram no Haiti após a tempestade que atingiu o país na última semana e cerca de 246 ficaram feridas. O fenômeno natural foi o mais forte registrado na região do Caribe nos últimos 10 anos e também atingiu outros países com menor impacto, entre eles Jamaica, Bahamas, Cuba e o sudeste dos Estados Unidos, região onde deixou 17 mortos. 

LEIA MAIS:

Estrela da NFL é multada pela 2ª vez por dançar depois do Touchdown

NFL – ODELL BECKHAM DESABAFA: “NÃO ESTOU ME DIVERTINDO MAIS”

Garçon e François estiveram em campo durante a vitória do Washington Redskins sobre o Baltimore Ravens neste fim de semana e viajaram ontem para o país, onde visitaram o principal hospital da capital haitiana e entregaram os mantimentos enviados pela equipe médica do time. O WR, inclusive, publicou um vídeo antes da viagem em sua conta no instagram, mostrando toda a preparação dos materiais. Entre os equipamentos estavam Gazes, materiais para tratar feridas e bandagens.

O jogador revelou ter recebido total apoio do Gerente geral da Equipe, Dan Snyder, que o liberou junto ao companheiro de time para realizarem a viagem. Esta não é a primeira vez que ele utiliza a sua fama para ajudar o povo haitiano; Em 2010, o recebedor esteve no país para criar a “Pierre Garçon Helping Hands Foundation”, fundação que visa levar educação completa, saúde e programas comunitários para as pessoas do Haiti, influenciando positivamente suas rotinas e garantindo um padrão de vida à longo prazo mais digno.

Além do Haiti, a franquia ainda enviou equipamentos médicos para as Bahamas, outro local atingindo pelo furacão.



Jornalista formado pela PUC-PR e apaixonado pelas quatro grandes ligas americanas, além do futebol nacional e internacional.