Manchester City: sonhos e desafios

Pep Guardiola

Crédito da foto: Reprodução / Twitter / Manchester City

Quando os executivos do Manchester City resolveram abrir os cofres para contratar o técnico Pep Guardiola estava mais do que claro que a equipe de Manchester sonha com a conquista da Uefa Champions League, estruturação das categorias de base e criar uma filosofia de trabalho que tenha início- meio e fim. Pep Guardiola, no meu ponto de vista, é o melhor técnico do mundo e capaz de fazer excelente trabalho no comando técnico do Manchester City. A tarefa não é fácil e vai exigir paciência e compreensão de todos.

Sem ter um elenco de alto nível técnico e distante do seu estilo de jogo, Pep Guardiola, contratou o zagueiro Stones, o atacante Sané, o atacante Gabriel Jesus – que só se apresenta em janeiro de 2017, o meia Gündogan, o atacante Nolito e o goleiro Claudio Bravo. Entre os jogadores que chegaram nenhum foi tão questionado quanto Claudio Bravo. O titular, Joe Hart, tem dificuldades para jogar com os pés e adiantado como um líbero e foi substituído por Claudio Bravo, que, segundo Pep Guadiola, sabe jogar com os pés e seria o ideal para defender o gol do Manchester City. O final da história terminou com Joe Hart indo para o Torino e Claudio Bravo assumindo a titularidade.

Com apenas quatro meses de trabalho é impossível afirmar se Pep Guardiola vai conseguir transformar o Manchester City no time dos sonhos e conquistar a tão sonhada Champions League. Todos nós sabemos que o técnico Pep Guardiola é genial, tem ideias de jogo que buscam a vitória e é um estudioso. As equipes comandadas por Pep Guardiola jogam com as linhas adiantadas asfixiando os oponentes, qualidade técnica na saída de bola e sem dar chutões, preserva a posse de bola, troca passes, gira a bola invertendo as jogadas para abrir espaços, dita o ritmo da partida, ataca com velocidade- triangulações- jogadas agudas-intensidade ( variantes ofensivas que fazem com que os oponentes corram atrás da bola ) e forte marcação em todos os setores do campo.

O técnico Pep Guardiola tem o seu estilo e, dificilmente vai mudar as suas estratégias de jogo. Personalidade e coragem para encarar desafios não faltam no técnico do Manchester City. O blogueiro do site Torcedores.com, Luiz Ferreira, escreveu o seguinte: uma estratégia de jogo é composta por vários elementos. Além da disciplina, do senso coletivo e da dinâmica que o velho e rude esporte bretão exige, o campo também dá espaço para os grandes atletas brilharem.

Analisando as escalações do Manchester City na atual temporada é fácil identificar que está faltando organizar o sistema defensivo, os laterais continuam limitados na parte ofensiva, os jogadores que deveriam assumir a responsabilidade da criação não estão bem, o meio-campo tem enormes dificuldades para se desvencilhar da marcação dos oponentes e, no ataque, os jogadores não estão conseguindo acelerar as jogadas e dificultar o trabalho dos laterais e volantes dos oponentes. Falta profundidade e eficiência no momento de definir as jogadas.

Os quatro meses de trabalho no comando técnico do Manchester City ainda não foram suficientes para Pep Guardiola impor o seu estilo de jogo e, a ideia de povoar o meio campo para obter superação numérica não está correspondendo as expectativas e é um dos equívocos de Pep Guardiola. Apesar das dificuldades, o elenco tem bons jogadores que podem a qualquer momento entender a filosofia de trabalho e melhorar a performance da equipe. Esses detalhes só reafirmam o quanto futebol é dinâmico e necessita de paciência para que um trabalho tenha sucesso. Mesmo tendo no comando técnico profissionais do nível de Pep Gurdiola.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos o link da página de Rivaldo Pedregulho no site Torcedores.com e envie comentários e sugestões nas redes sociais.

https://www.facebook.com/rivaldo.pedregulho

@blogdorivaldo

rivaldopedregulho@gmail.com