Flamengo + MRV, confira detalhes do contrato

Crédito da imagem: Reprodução/Flamengo

Analisando apenas o ponto de vista econômico o acordo entre o Flamengo e a MRV Engenharia será um dos menores do futebol brasileiro a partir do momento que entrar em vigor. Segundo apuração do Blog Bastidores FC os valor total a ser recebido pelo rubro-negro até 2018 chegará a R$ 16 milhões divididos em três blocos.

Neste ano o clube receberá R$ 1 milhão por três meses de contrato, em 2017 o valor passará a R$ 7 milhões por toda temporada e em 2018 seriam R$ 8 milhões pelos 12 meses do ano. O valor médio a ser recebido pelo clube durante os 27 meses de contrato será de R$ 592,5 mil.

LEIA MAIS

FLAMENGO PRECISARÁ DE CAMPANHA INÉDITA POR HEPTA

ÍDOLO DO FLAMENGO CRAQUE NUNES CONFIA NO HEPTA

FLAMENGO PODE CONTRATAR DESTAQUE DO SANTA CRUZ

CHEIRINHO DE ESTÁDIO? FLAMENGO TEM NOVO PATROCINADOR

A aprovação do contrato com a MRV Engenharia deverá acontecer nesta terça-feira em reunião ordinária do Conselho Deliberativo e deve levar em consideração não apenas os valores oferecidos pela empresa, mas uma potencial parceria para tirar do papel o sonho rubro-negro de ter seu estádio próprio para não repetir os problemas vividos em 2016 quando mais de 80% das partidas com mando da equipe tiveram que ser disputadas fora do Rio de Janeiro.

A expectativa em torno dessa parceria além da camisa é grande porque a nova parceira rubro-negra é uma das maiores empresas do setor de construção civil do país, não tem qualquer envolvimento com a Operação Lava Jato e tem em seu contrato com o Atlético Mineiro uma cláusula que prevê exatamente a parceria para construção da Arena Galo.

Vale ressaltar aliás que o terreno já escolhido pelo Galo para construção de seu estádio pertence a MRV que já concordou em fazer a concessão da área desde que o clube mineiro apresente investidores interessados em financiar o negócio. O Flamengo já possui ao menos 2 grupos de investidores dispostos a arcar com os custos de construção de seu estádio, um deles inclusive já ofereceu uma área em Pedra de Guaratiba com direito a apresentação de projeto de uma casa com 50 mil lugares.

Outra área que interessa ao rubro-negro fica em Deodoro, precisamente falando trata-se do terreno onde foi montado o Estádio de Rugby da Rio 2016, instalação situada no Complexo Olímpico e cuja destinação ainda não foi totalmente definida justamente devido ao interesse do Flamengo em assumir a arena. Nesse caso a estrutura temporária seria substituída por uma definitiva respeitando o projeto arquitetônico original as duplicando a capacidade de 15 mil pessoas.

Uma terceira opção de terreno é uma oferta recente de área de 90 mil metros quadrados situado na Zona Oeste (não foi divulgado o bairro) em troca do prédio do Morro da Viúva, retomado pelo rubro-negro no começo deste ano. Esta permuta, no entanto, parece a mais distante das opções já que a diretoria do Flamengo já analisava a venda simples do prédio para realizar uma ampliação da Gávea, opção considerada mais barata do que as outras três colocadas a mesa do clube.

A MRV Engenharia poderia ser o elo facilitador de um financiamento para construção de uma Arena do zero, ou executora da reforma e adaptação da Gávea nos moldes do que foi feito no Estádio Independência em Belo Horizonte. Seja qual for a opção o Flamengo só tem a ganhar com a MRV e a empresa mineira, obviamente, terá muito mais a ganhar (com a grande torcida rubro-negra) se ajudar o Flamengo a erguer sua casa própria.



Lucas Mendes é Jornalista, nascido no Rio de Janeiro mas com profundas raízes espalhadas pelo Brasil. Apaixonado por esportes desde pequeno por influência do Maior Camisa 10 de Todos os Tempos que viu jogar - o Tio Juca - Lucas busca fazer através do jornalismo esportivo o que não pode fazer dentro das quatro linhas do esporte. Com passagens por TV Jangadeiro, TV Fortaleza, Rede Record, SBT, Rede Gazeta, Rede Massa, RPC e TV Tarobá acumulou a experiência que agora compartilha no Torcedores.com