Dracena fala sobre a polêmica do Fla-Flu: “Questão judicial não é minha parte”

Divulgação

O Palmeiras fez seu último treinamento nesta terça-feira, antes de enfrentar o Grêmio pela Copa do Brasil. O técnico Cuca só liberou a imprensa no final. Com a cabeça no Brasileirão é bem provável que o Verdão entre em campo com uma equipe mista, a única certeza é que Gabriel Jesus será titular.

LEIA MAIS
MERCADO DA BOLA: SANTOS SAI DE CENA E VÊ PALMEIRAS SE APROXIMAR DE KENO

Após o treino o zagueiro Edu Dracena concedeu entrevista coletiva e falou sobre o jogo contra o Grêmio, sobre o Fla-Flu, jogo do Figueirense e sobre a tecnologia do futebol

Confira alguns trechos da entrevista do zagueiro:

Sobre deixar a Copa do Brasil de lado:
“Se pegar nosso elenco que não está jogando, é titular em qualquer outra equipe. Fabiano, titular. Eu, titular. Thiago, titular. Egídio, titular. Cleiton Xavier, Lucas Barrios, fora outros jogadores. De repente, para algumas pessoas, Palmeiras pode estar pensando só no Brasileiro. Mas nós, jogadores, queremos disputar a Copa do Brasil e tentar ganhar também”, analisou o defensor. “Não gosto de priorizar, porque você acabar ficando sem nenhuma. Enquanto puder, vamos tentar ir até o final nas duas”, finalizou.

Sobre um time sem entrosamento:
“Vai mais de repente na conversa, na experiência dos jogadores, em jogar em um jogo melhor do que foi contra o Botafogo-PB. Sabemos que não foi o esperado. O mais importante para o jogador é estar atuando. Tem de aproveitar a chance, até porque tem muita gente vendo. A gente pode fazer um grande jogo, levar o Palmeiras para uma semifinal e dar uma dorzinha de cabeça no treinador para escalar para o Brasileiro”.

Sobre a possível chance do jogo contra o Figueirense ser anulado:
“Não cheguei a ver isso, mas erros acontecem, tanto favoráveis como contrários. Ninguém é mais prejudicado ou favorecido. Isso pode levar para o lado daquela coisa de querer mostrar para o torcedor que estão fazendo de um time tanto da briga para não cair quanto para um título. Estamos sempre batendo na tecla de profissionalizar o árbitro, mas nem isso vai acabar com erros. Não tem que achar que um é mais prejudicado ou mais favorecido, acho que isso é bobagem”.

Sobre o jogo do entre Fluminense e Flamengo e sobre tecnologia no futebol:
“Não sou apropriado para falar sobre isso, sou leigo sobre essa regra. Só conheço a regra de dentro de campo, questão judicial não é minha parte. A diretoria já colocou seu pensamento. Agora, com relação a tecnologia, se vier para ajudar, é válido. Todos trabalham sério, honestamente, no dia a dia. Você deixa sua família, joga com dor, no sacrifício às vezes. Ouvir palavras fortes te fazem pensar sobre o que estamos fazendo aqui. É mais legal escutar como o Palmeiras está jogando, como o Flamengo, o Inter, qualquer equipe”, avaliou o zagueiro.

Sobre o jogo contra o Grêmio:
“Para nós, é final de campeonato. Estamos encarando dessa forma. Primeiro, porque estaremos vestindo a camisa do Palmeiras. Segundo que estaremos representando milhões de torcedores. E, em terceiro, queremos marcar nosso nome, deixar marcas positivas na história. Não adianta passar por passar, tem que ganhar títulos, marcar território”.

Sobre ter um time do Brasileiro e outro da Copa do Brasil, Edu Dracena?
“Se eu fosse o treinador, daria chance para todos jogarem. Colocaria um time no Brasileiro e outro na Copa do Brasil, até pela qualidade. Temos jogadores que poderiam ser titulares em qualquer equipe. Só que temos jogadores que estão jogando bem, não tem como tirá-los. Como temos oportunidades, estamos tentando mostrar”