Andrés Sanchez polemiza e diz: “no Corinthians tem que ter uns bandidos, senão não vai”

Corinthians
Foto: Getty Images

Em uma conversa na rádio Bradesco FM, Andrés Sanchez, famoso por declarações polêmicas, disse que o elenco do Corinthians precisa ter uns “bandidos do bem”.

LEIA MAIS:
Além de Jô Corinthians pensa em Diego Souza; Sport vê interesse como natural

O ex-presidente do time do Corinthians deu uma declaração um tanto quanto diferente se comparada a outros cartolas e dirigentes de outros clubes. Questionado sobre qual tipo de atleta ele prefere, logo respondeu, dando comparações de anos em que era o presidente: “(Jogadores baladeiros) São os que eu gosto. Fui junto (para balada) só com o Ronaldo e com o Edu, quando jogava. A maioria das vezes, encontrava o jogador lá. Desde que ele treine e jogue bem, não sou babá de ninguém. Time de futebol, principalmente o Corinthians, tem que ter uns bandidos, senão não vai”, afirmou Andrés.

Durante a conversa, ele citou um dos nomes mais conhecidos da torcida corintiana como exemplo de tipo de jogador que ele gosta, o herói da final da Libertadores de 2012, Emerson Sheik, e ainda criticou a postura da maioria dos atletas atualmente: “Corinthians tem que ter meia dúzia, dez bandidos do bem. O maior bandido que eu conheci foi Emerson Sheik, mas bandido do bem. Chegava e falava que no dia seguinte não ia jogar. Foi campeão e não apareceu por dois meses. Vou falar o que? Foi campeão. Mas tem jogador que fica com a cabeça abaixada, quieto, é o que mais tem”, disse.

Sobre o elenco de 2016, Andrés falou também de alguns nomes como André, Rodriguinho e Cristian: “O André eu nunca soube (sobre chegar bêbado). O Rodriguinho chegou uma vez, mas não bêbado, de ressaca. Isso é normal. Quer time mais baladeiro que o de 2009, que fomos campeões invictos do Paulistão? Elias, Jorge Henrique, Cristian, Liedson, Souza, Ronaldo, Roberto Carlos…”, concluiu.