Opinião: Neymar precisa aprender que ninguém é imune a críticas

Foto: Ricardo Stuckert

Neymar está trilhando seu caminho para ser um dos grandes esportistas do Brasil, só que há um outro campo que ele precisa crescer urgentemente, no respeito a aceitação e compreensão de criticas.

Logo após a conquista de medalha de ouro no futebol, no último sábado no Maracanã, o camisa 10 do Brasil envolveu-se numa polêmica com um torcedor, que disse ao atleta que a conquista da sonhada medalha não era mais que uma obrigação. Se pensarmos racionalmente, sim. Ganhar este ouro era mesmo uma obrigação.

Vejamos que nossos 15 adversários na competição não vieram todos com seus times “A”, enquanto que o Brasil tinha claramente os melhores jogadores para sua equipe principal. Era natural que o time, por ser o país sede, se impusesse perante os demais e fizesse valer o fator casa.

Outra questão é que dos seis jogos que fizemos até o ouro, em dois deles tivemos vaias e criticas fortes sobre o grupo. Os questionamentos foram sim merecidos e não há como passar a mão na cabeça de quem não atuou como esperado, sabendo que nossa história e futebol tem mais a oferecer do que apresentamos contra África do Sul e Iraque.

Contra Dinamarca, Colômbia e Honduras, o nível de atuação foi bem melhor que nos primeiros jogos e contra a Alemanha, tivemos um tempo normal com superioridade alemã, embora no segundo tempo buscássemos mais o ataque. Na prorrogação, o melhor preparo físico do Brasil prevaleceu, mas sem a esperado gol da vitória e com isso fomos resolver a situação nos pênaltis.

Festa feita, aconteceu o novo episódio Neymar, que se acha imune a criticas e cobranças, só que ele não é. Nem ele e nem ninguém. Caso você, amigo leitor, esteja lendo este texto e não concorde com o que falei, poderá virar e dizer que algo não esteja bom, ou que tal pensamento ou ação esteja incorreto. É do jogo. Só que Neymar passa a impressão de que vive numa bolha em que ele é inatacável e que pode ficar livre de questionamentos. Uma coisa precisa ser dita: Neymar não é um ser inatacável. Ele tem que aprender e entender que enquanto ele vestir camisa, calção, meião e chuteira, seja do Barcelona ou da Seleção Brasileira, ele vai ouvir criticas e questionamentos, bem como qualquer jogador, treinador, dirigente, jornalista, trabalhador, o que for.

Não tiro a razão do torcedor que falou o que disse a Neymar e vou mais além, creio que o camisa 11 do time da Catalunha deva pegar o telefone, e ligar para o líbero da Seleção Masculina de Vôlei, Serginho, e conversar um pouco sobre como é ter humildade de atuar em situações adversas, bem como não se deixar levar pelo sucesso, já que nem sempre o mais requintado prato alimenta tão bem quanto um picadinho, um comercial ou um sanduiche e nem o melhor refrigerante do mundo mata completamente sua sede e te deixa feliz como uma tubaína.