Serginho só quer voltar a ser normal após fazer história: “Graças a Deus acabou”

Serginho
Foto: Reprodução

O líbero Serginho entrou para a história do esporte brasileiro ao se tornar o maior medalhista em esportes olímpicos da história, com duas medalhas de prata e duas de ouro, a última conquistada neste domingo com a vitória sobre a Itália por 3 a 0.

Na primeira entrevista após o feito, Serginho mostrou porque é considerado um dos jogadores mais carismáticos do vôlei.

“O melhor disso tudo é que amanhã volto à vida normal. Vou buscar meu filho na escola na segunda, volto a ser o filho da Dona Didi. Isso aqui acaba. Graças a Deus”, disse ao SporTV. “Quero agradecer primeiro a cidade que nasci, Diamante do Norte, o meu bairro, Pirituba. Não nego que nasci e moro até agora ali”, completou.

Serginho disputou a sua quarta e última final olímpica neste domingo. O jogador de 40 anos se aposenta da seleção brasileira como o maior medalhista olímpico do Brasil em esportes olímpicos.

O líbero chorou muito assim que Lipe fez o bloqueio da vitória e era disparado o mais emocionado no pódio. Depois, pegou o microfone e deu um recado ao torcedor antes de comandar o tradicional peixinho.

“Tenho um presente. Essa camisa que joguei, não vou dar para ninguém. Vou deixar no chão do Maracanãzinho e vocês façam com ela o que quiserem”, afirmou.

É assim que se despede um dos maiores nomes do vôlei e do esporte brasileiro. Querendo voltar a ser uma pessoa normal, algo que dificilmente vai acontecer.



Editor senior do Torcedores.com, o jornalista formou-se na Universidade Metodista em 2009 e passou pelas redações do Diário do Grande ABC, Agora SP, UOL e Fox Sports, onde fez a cobertura da Copa do Mundo de 2014. Está no Torcedores desde outubro de 2014.