“Está na hora de refletir”, diz Bernardinho sobre sua permanência na seleção

Bernardinho
Foto: Reprodução

O ouro olímpico do vôlei masculino conquistado na tarde deste domingo (21), após uma vitória incontestável sobre a Itália por 3 a 0, consagrou a carreira de Bernardinho. O treinador chegou a sua sétima medalha em Olimpíadas, a segunda de ouro, repetindo o feito de Atenas em 2004. Após a nova conquista, agora no Rio de Janeiro, o técnico não garantiu sua permanência no comando da seleção.

LEIA MAIS

Brasil repete no masculino, “milagre” do vôlei feminino em Londres após mau começo

“Eu tenho que respirar e pensar. Tenho que pensar um pouco e está na hora de refletir. Foi duro, foi difícil. O time é competitivo. A nossa missão era não encerrar o ciclo sem nada e acho q conseguimos terminar com bons valores”, disse.

Sobre o time, Bernardinho destacou a liderança de Bruninho e comentou sobre a dor da perda da medalha em 2012.

“Eu não pensava em mim, pensava no Bruno. Não só pelo filho, mas pelo atleta e achei que hoje ele foi fantástico. O time na reta final sobrou, mostramos nossa capacidade e ele foi o mentor disso. Wallace foi incrível, Lucão e Bruno no meio, o time como um todo. Serginho vinha entre altos e baixos, fez um campanha olímpica maravilhosa. O Brasil sempre se manteve no top do vôlei mundial em um esporte tão difícil”, afirmou.