‘CS:GO’: SK Gaming envolvida em polêmica

Reprodução/Site Oficial SK Gaming

A organização SK Gaming que possui equipes de eSports, incluindo a equipe brasileira da SK Gaming que disputa competições do Counter-Strike: Global Offensive, se envolveu em uma polêmica graças a revelação do nome da empresa que detém a maioria das ações da organização. A ESforce Holding que em um passado não tão distante foi exposta como acionista majoritária do site de apostas CSGO Lounge é a nova acionista majoritária da SK Gaming.

A informação veio a mídia devido as investigações do jornalista Thiemo Bräutigam que atua no portal The Esports Observer. O jornalista que já vinha de investigações relacionadas a ESforce Holding e foi o responsável por revelar ao mundo a ligação da empresa com o CSGO Lounge não parou até achar mais informações contundentes. Brautigam teve em mãos um documento que estava arquivado nos registros oficiais da Alemanha, e neste documento segundo o jornalista estava presente o nome de uma empresa chamada Kristall 195. GmbH. De acordo com as informações presentes no documento a referida empresa foi fundada no mês de junho de 2015 por uma escritório de advocacia alemão chamado VRB Vorratsgesellschaften, que detém certo reconhecimento na alemanha por ser um escritório especialista na criação de “Shelf-Companys” que no Brasil seria basicamente uma “Empresa de Fachada” porém detendo uma firma registrada e legalizada, mas sem manter qualquer tipo de atividade e sendo criada exclusivamente para uma futura venda.

Ainda de acordo com os relatórios do documento ano após a fundação da empresa, exatamente em junho desse ano, os registros foram atualizados e esta passou a ter descrição de “atuação em gerenciamento de equipes de jogos online e off-line”, e incluiu como seu novo Diretor Executivo o nome de Alexander Muller que atualmente é o principal mandatário da SK Gaming. Além disso os registros trazem o nome da ESforce Holding como acionista única da empresa.

Alexandar Muller confirmou ao jornalista que a ESforce Holding se tornou a nova acionista majoritária da SK.

“A ESforce comprou as ações dos antigos parceiros da SK. Foi a melhor decisão para SK em termos de negócios. Falamos com outros potenciais investidores, mas a ESforce tem as mesmas ambições que nós e também muito conhecimento no ramo do eSports”, disse Muller.

Os antigos parceiros da SK eram Ralf Reichert atual diretor-executivo da Electronic Sports League (ESL) e da Turtle Entertainment, e também é um dos diretores da World Esports Association (WESA). E o outro parceiro se tratava de Andreas Thorstensson, que vem se dedicando a sua atuação em outras empresas e além de estar atuando como investidor.

A ESforce Holding agora é proprietária de diversos meios ligados ao eSports, controlando a SK, Virtus.pro e a CSGO Lounge que recentemente teve suas atividades paralisadas. Inclui-se também o fato da ESforce ser responsável pelos direitos de mídia da Natus Vincere, pela organizadora de torneios Epic Esports Events, pelo estúdio de transmissão RuHub e por 180 sites especializados no esporte eletrônico da Comunidade de Estados Independentes e da Rússia.

Com atuação tão contundente dentro do eSports e detendo tantas empresas ligadas ao meio, existe uma divisão entre as pessoas que vivem e acompanham eSports. De um lado existem pessoas que creem ser esta uma situação normal no ramo dos negócios, e do outro lados está os que acreditam que haverá um conflito de interesses intenso entre as partes, e que o futuro reservará polêmica quanto a resultados e acontecimentos.

 



Especialista em Marketing Digital pela Universidad Austral da Argentina; Especialista em Social Media Marketing pelo ITESM do México; Especialista em Marketing Internacional e Crescimento da Indústria Cruzada pela Yonsei University da Coreia do Sul. Estudante de Administração. Com diversos cursos voltados a administração esportiva, área que o grande público tem pouco conhecimento. Fã de esportes, games e animes. Diretor de Marketing e Comunicação na Agência 2B Sports.